Valentin Inzko

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Valentin Inzko
Nascimento 22 de maio de 1949 (70 anos)
Klagenfurt
Cidadania Áustria
Cônjuge Bernarda Fink
Alma mater Universidade de Graz, Academia Diplomática de Viena
Ocupação linguista, diplomata, tradutor, político
Prêmios Grande Condecoração Honorífica em prata por Serviços à República da Áustria
Religião Igreja Católica

Valentin Inzko (Feistritz im Rosental, 22 de maio de 1949) é um diplomata austríaco que atualmente atua como Alto Representante para a Bósnia e Herzegovina, cargo que assumiu em 26 de março de 2009. Entre 2009 e 2011, serviu também como Representante Especial da União Europeia para a Bósnia e Herzegovina. É um membro da minoria eslovena.

Foi embaixador da Áustria na Bósnia e Herzegovina entre 1996 e 1999, e na Eslovénia entre 2005 e 2009.

Em 9 de junho de 2009, Inzko usou seus poderes pela primeira vez e demitiu dois policiais. Os dois oficiais eram Bosniak Himzo Đonko, um comissário de polícia do cantão de Herzegovina-Neretva, acusado de ameaçar oficiais internacionais bósnios em uma tentativa de obstruir uma investigação em suas acusações de abuso de poder, e o servo bósnio Radislav Jovičić, um funcionário do estado bósnio. Agência de investigação e proteção, alegou ter usado seus subordinados para seguir ilegalmente e observar o pessoal de Inzko.[1]

Referências