Variação diatópica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Variação diatópica, é um tipo de variedade linguística que ocorre por conta das diferenças geográficas, ou seja, diferenças relacionadas ao espaço físico, como países, regiões, estados, cidades, zona rural, zona urbana. Com isso, podemos então falar em variação geográfica, que nada mais é do que as variedades características de cada região e que são adquiridas pelos seus próprios falantes, isto é, os falares próprios de sua região. A este respeito, essas mudanças ocorridas pelas diferenças geográficas são consideradas dialetos, por isso que se falam em dialetos regionais, ou variedade regional.

Há este exemplo, temos como conhecimento que o Português é uma língua usada em Portugal, no Brasil e em alguns países da África. Porém, o Português que é falado em Portugal difere do Português falado no Brasil e nos países da África. Essas mudanças ocorrem por questões que envolvem o próprio Sistema linguístico, pois podem apresentar tanto na parte lexical, como na parte fonética e gramatical. Além disso, há diferenças linguísticas regionais no Português Brasileiro, como nos falares (dialetos) do Nordeste e do Sudeste, por exemplo.

No português brasileiro, fala-se por exemplo “Não vou lá”, “trem”, enquanto em Portugal, fala-se “Lá não vou”, “comboio”. Na variedade regional brasileira, os falantes utilizam os modos de falar “macaxeira”, “mandioca” e “aipim” para se referir e/ou especificar uma mesma planta. Além disso, há diferenças em pronúncias de algumas vogais, que, nos falantes do Nordeste podem ser pronunciadas em aberto, e já com os falantes do Sudeste, podem ser pronunciadas de forma fechada.

“Tomando-se a comunidade de fala de língua portuguesa como um todo, podemo-nos referir às variedades brasileira, portuguesa, baiana, curitibana, rural paulista (ou caipira) etc.”

A variação diatópica, ou geográfica, condiz também com a identidade e a cultura das diferentes comunidade linguísticas, possibilitando o reconhecimento de que determinado falante se distingue de outros falantes por pertencer à determinada comunidade e não à uma outra. Por ele apresentar uma variedade que é característica de sua comunidade, ou região, etc.

Ao estudo e pesquisa desse tipo de variação linguística é destinado também à dialetologia.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina (orgs.) Introdução à linguistica: domínios e fronteiras. v. 1 – 8. ed. – São Paulo: Cortez, 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • LABOV, William. Padrões Sociolinguísticos. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.
  • PAGOTTO, Emilio Gozze. Variação e (ˊ) identidade. Maceió: EDUFAL, 2004.