Velu Nachiyar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Velu Nachiyar
Selo comemorativo de 2008
Nome completo வேலு நாச்சியார்
Conhecido(a) por liderou uma resistência armada contra o colonialismo britânico
Nascimento 3 de janeiro de 1730
Ramanathapuram, Tamil Nadu, Índia
Morte 25 de dezembro de 1796 (66 anos)
Sivaganga, Tamil Nadu, Índia
Nacionalidade indiana
Cônjuge Sivagangai Mannar Muthuvaduganathur

Velu Nachiyar (em tâmil: வேலு நாச்சியார்) (Ramanathapuram, 3 de janeiro de 1730Sivaganga, 25 de dezembro de 1796) foi uma rainha do estado de Sivaganga, no sul da Índia. É considerada a primeira rainha indiana a lutar contra o colonialismo britânico no país.

Entre o povo tâmil é chamada de Veeramangai ("mulher de coragem").[1][2] Alguns historiadores se referem a Rani como a Joana d'Arc da Índia.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Velu nasceu em 1730, no reino de Ramanathapuram. Era filha única do rajá Chellamuthu Vijayaragunatha Sethupathy e sua esposa Rani Sakandhimuthathal.[3] Desde pequena foi ensinada nas artes marciais, como o Valari, manuseio de armas, arco e flecha, hipismo, a luta com bastões, chamada de Silambam, além de ser fluente em vários idiomas, como o francês, inglês e o urdu.[3][4]

Casou-se com o rei de Sivagangai, MuthuvaduganathaperiyaUdaiya Thevar, com quem teve uma filha, Vellachi. Os dois reinaram juntos de 1750 a 1772. Quando o marido foi morto por forças britânicas e inimigos do reino, Rani entrou na batalha, depois conseguindo se refugiar com a filha ao ver que não tinha chances de vencer.[5] Enquanto se recuperava da batalha, ela começou a formar um exército e firmou alianças com Gopala Nayaker e Hyder Ali, sultão de Mysore, e outros líderes da região, com a intenção de atacar os britânicos.[3][6]

Em 1780, Velu atacou e venceu os britânicos. Na mesma época, ela encontrou um depósito de munições dos ingleses, o qual ela conseguiu destruir.[7][8] Velu foi uma das poucas soberanas indianas a reconquistar e manter seu reinado, o qual governou por mais dez anos depois das lutas de libertação.[3][9] Em 1790, sua filha Vellachi Nachiyar herdou o trono.[2][4] A resistência de Velu contra os britânicos reforçou outros sentimentos nacionalistas e garantiu que os irmãos Marudhu, senhores da guerra de Sivagangai, administrassem o país nos anos de 1780.[10]

Rani Velu Nachiyar e os irmãos Marudhu. Arte de Shakthi Thevar

Morte[editar | editar código-fonte]

Velu morreu em 25 de dezembro de 1796, aos 66 anos.[3][4]

Legado[editar | editar código-fonte]

Em 31 de dezembro de 2008, o governo da Índia lançou um selo comemorativo em sua homenagem e ao seu legado de luta contra o colonialismo.[11] Em 21 de agosto de 2017, um balé foi conduzido em Chennai, contando a história de Velu.[5][6]

Referências

  1. «Veeramangai Velu Nachiyar». The Hindu Business Line. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  2. a b «Velu Nachiyar». Learn Cultural India. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  3. a b c d e f Hamsadhwani Alagarsamy (ed.). «Velu Nachiyar: The Tamil Queen Who Fought Away the British». Feminism in India. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  4. a b c Lekshmi Prya (ed.). «Velu Nachiyar & Kuyili: The Women Who Took Down The British 85 Yrs Before 1857!». The Better India. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  5. a b «Remembering Queen Velu Nachiyar of Sivagangai, the first queen to fight the British». The News Minute. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  6. a b «Why most Indians have never heard of the name Queen Velu Nachiyar, why our "colonial" history books have suppressed the great warrior?». Postcard News. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  7. «Of woman power and Tamizh glory». IBN Live. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  8. «Tamil Nadu to build memorial for freedom fighter Kuyili». Times of India. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  9. «A Durga A Day-Day 6: Mata Katyayini-Rani Velu Nachiyar and Kuyili». Medium. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  10. «History-Sivaganga district». Sivaganga district. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  11. «India Post – Stamps 2008». Postal department, Government of India. Consultado em 7 de janeiro de 2019