Ventos do oeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A circulação atmosférica, mostrando nas latitudes médias os ventos do oeste (westerlies)

Os ventos do oeste (também conhecido como corrente ocidental ou pela forma inglesa westerlies) são ventos prevalecentes nas latitudes médias (entre as latitudes 30º e 60º) que sopram de áreas de alta pressão em zonas subtropicais para os pólos. Os ventos são predominantes do sudoeste no Hemisfério norte e do noroeste no Hemisfério sul. Juntamente com os ventos alísios, os ventos do oeste permitiam as viagens ida-e-volta na rota comercial dos primeiros navios europeus (caravelas). Navios que retornavam para a Europa das Américas Central e Sul, das Indias Ocidentais, navegavam para o norte, virando para leste para atravessar o Atlântico.

Os ventos do oeste podem ser particularmente fortes, especialmente no Hemisfério sul, onde há menos terras emersas nas latitudes médias para causar a fricção de relevo e conseqüentemente reduzindo a velocidade dos ventos. Os ventos do oeste mais fortes nas latitudes médias podem vir dos exuberantes quarenta, as áreas entre as latitudes 40° e 50° de latitude.

Os ventos do oeste têm um papel importante em carregar águas e ventos quentes e equatoriais para as costas oestes dos continentes, especialmente no Hemisfério sul, onde há mais oceanos do que terras emersas.

No Hemisfério sul, por causa da condições nebulosas e tempestuosas, é normal referir-se aos ventos do oeste como "Exuberantes quarenta", "Furiosos cinqüenta" e "Uivantes sessenta", de acordo com as variações da latitude.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia
Ícone de esboço Este artigo sobre Meteorologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.