Rota de comércio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma rota de comércio é a sucessão de caminhos e locais de paradas usados para o transporte comercial de carga. As rotas comerciais podem ser estabelecidas por terra/rodovia ou por água,Aéria/avião,dutoviária/dutos ou tubos mais conhecido como modais..

A escolha da rota a ser utilizada (ou não) por grupos de comerciantes e suas escoltas armadas e de logística, dependeu de um número de fatores a serem analisados, incluindo a situação política e econômica global das áreas a serem atravessadas, o meio de transporte utilizado pelos viajantes, suas habilidades de navegação e conhecimento de geografia (e de meteorologia), bem como das facilidades atuais, rapidez, segurança e rentabilidade de tais viagens.

O arqueólogo britânico Colin Renfrew e seus colegas, chegaram a demonstrar que o encontro de obsidiana, um vidro vulcânico preto usado em determinadas culturas da idade da pedra para a produção de lâminas afiadas ou pontas de flechas, era um forte indicador da existência de rotas comerciais neolíticas, devido a esses objetos em obsidiana serem normalmente diagnóstico de recursos individuais [1].

Os primeiros documentos que mencionaram redes interurbanas de rotas de caravanas e de embarcações foram produzidos por volta de 4.000 a.C.. Descreviam rotas que interligavam os primeiros povoados da Baixa Mesopotâmia (o atual sul do Iraque). Das rotas de navegação do Golfo Pérsico destacava-se a da ilha de Dilmun, que ligava a Mesopotâmia à civilização do Vale do Indo. No tempo do Antigo Império romano, as rotas marítimas pelos mares Mediterrâneo e Vermelho podem ser localizadas ponto-a-ponto e em detalhes através do litoral nos documentos manuscritos chamados de périplos, (grego antigo: periplous, literalmente "circum-navegação", correspondente em latim a navigatio).

Importantes rotas de comércio[editar | editar código-fonte]

[[|miniaturadaimagem|centro]] ' ligando Manila a Acapulco era a rota de comércio trans-pacífico mais famosa dos séculos XVI e XVII.

Ver também[editar | editar código-fonte]