Vila Esperança (série)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vila Esperança
Informação geral
Formato Série
Gênero
Duração 45 minutos
Criador(es) Betina Rugna
Marisa Martins
País de origem  Brasil
Idioma original (português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Marisa Martins
Elenco
Tema de abertura Instrumental
Empresa(s) de produção Idea Produções
Exibição
Emissora de televisão original Brasil RecordTV
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 31 de agosto de 1998 – 9 de abril de 1999
N.º de episódios 264

Vila Esperança foi um seriado infantil exibido pela RecordTV entre 31 de agosto de 1998 e 9 de abril de 1999, as 17h, com episódios diários de uma hora[1].

O Programa[editar | editar código-fonte]

Idealizado pelas educadoras Betina Rugna e Marisa Mello, retratava uma vila onde os personagens principais eram uma turma de crianças, o simpático Tio Dú, seu irmão Professor Piragibe, um cientista maluco e as figuras dos avós Vó Iza e Vô Zico. À margem do vilarejo, morava a dupla de vilões Meia Boca e Mil Faces, que faziam tudo para acabar com a harmonia da Vila Esperança.

Todos os dias, um assunto era abordado levando as crianças a refletirem sobre temas como ciúmes, solidariedade, preservação do meio ambiente, preconceito, amizade. tecnologia, voluntariado, orgulho, respeito as diferenças e mais de uma centena de argumentos.

Formato[editar | editar código-fonte]

Era apresentada uma história por dia, intercalada por quadros que transmitiam informações de forma lúdica. Os quadros eram:

  • A Rádio do Tio Du - Este personagem fazia tudo, narrava novela, criava os efeitos sonoros e personagens, entrevistava, era o DJ e apresentava vários gêneros musicais. Além da diversão e humor, as crianças também aprendiam como fazer efeitos sonoros, e representar diferentes personagens.
  • Estela Natela – Uma repórter, com figurino futurista que se locomovia com patins, apresentava matérias sobre pontos turísticos, opções de lazer para crianças, o dia a dia de diferentes profissionais e diversos assuntos de interesse infantil.
  • P Arabutãs – Vô Zico reunia as crianças para contar histórias que indiretamente transmitiam mensagens positivas. Sua narrativa se referia a uma floresta imaginária e seus habitantes eram animais representados por bonecos de mão.
  • Como se Faz? - Tio Du e o professor Piragibe demonstravam como fazer dobraduras, experiências, brinquedos reciclados, pipas, e muitas coisas criativas para as crianças executarem em casa.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Tio Dú (Gerson de Abreu) - amigo das crianças, dono de uma mercearia, onde tinha de tudo. Versátil, bem humorado, também tinha a função de ser o principal radialista da Vila.
  • Professor Piragibe (Brian Penido) - Cientista maluco, distraído, fazia incríveis invenções e seu maior sonho era construir uma máquina do tempo.
  • Vó Iza (Ana Maria Barreto) e Vô Zico (Josmar Martins) - Fundaram a vila e tratavam todas as crianças como se fossem seus netos. Vó Iza era quituteira e Vô Zico tinha uma grande repertório de histórias, o que fazia com que a garotada sempre estivesse por perto.
  • Mil Faces (Sergio Mastropasqua) - um engraçado vilão sempre traçava complexos planos para acabar com a paz de Vila Esperança, mas eram sempre estragados seu atrapalhado parceiro Meia Boca (Fabio Araújo).

Os personagens infantis eram meninos e meninas comuns, que brincavam, brigavam, conversavam, tinham boas atitudes, eram solidários, atenciosos uns com os outros, mas também tinham sentimentos como ciúme, orgulho, mau humor, enfim retratavam crianças normais. Cada dia, uma nova história apresentava um determinado assunto levando os pequenos telespectadores a refletirem sobre o tema. Tinham um clubinho dentro de um beco. Era um local idealizado por muitas crianças, com móveis, brinquedos, revistas, som, etc. A turminha era composta por:

  • Fabinho Biu (Freddy Allan) - o líder da turma, esportista, muito ligado a música, e querido por todos.
  • Juju (Carolina Alves) - menina sensível, e delicada. Tinha um diário onde registrava tudo. Era enamorada por Fabinho Biu.
  • Nanda (Tarsila Amorim) - menina extremamente preocupada com moda e aparência. Apesar de ser muitas vezes superficial, era boa amiga e todos respeitavam seu jeito de ser.
  • Zé Batata (Murilo Troccoli) - Bem humorado, sempre otimista, adorava batatas e quitutes.
  • Mima (Daniela Marques) - a caçulinha da turma. Era muito esperta e muitas vezes sabia das coisas antes de todos, mas não lhe davam atenção por que era a mais nova.
  • Guilherme (Cauã Bernard) - o nerd da turma, que encontrava as soluções para qualquer problema tecnológico.

Cenário[editar | editar código-fonte]

O programa foi produzido pela produtora IDEA, que construiu uma cidade cenográfica, com lago, árvores, e edificações como a masmorra metálica de Mil faces, a mercearia do tio Dú, a casa de Vó Iza e Vô Zico, o laboratório do Professor Piragibe e o beco das crianças. No centro, uma rua com calçadas passava por todas as casas e edifícios.

O Vila Esperança recebeu o prêmio de melhor programa infantil de 1998 pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

Referências

  1. «Record estréia "Vila Esperança'». Folha de S.Paulo. 30 de agosto de 1999. Consultado em 27 de julho de 2016.