Vilaiete de Istambul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vilâyet-i İstanbul
Vilaiete de Istambul
Vilaiete do(a) O Império Otomano
 
1864–1922

Istanbul Vilayet, Ottoman Empire (1900).svg
O Vilaiete de Istambul em 1900
Capital Istambul
Atualmente parte de  Turquia

População

1910 1.203.000 hab.

O Vilaiete de Constantinopla [1] ou Istambul, Vilâyet-i Istambul em turco otomano, era uma divisão administrativa de primeiro nível ( vilaiete ) do Império Otomano, abrangendo a capital imperial, Constantinopla (Istambul).

Tinha uma organização especial, colocada sob a autoridade imediata do Ministro da Polícia ( Zabtiye Naziri), que desempenhou um papel equivalente ao governador ( uale) em outros vilaietes.[2]

Incluía o centro da cidade, conhecido em turco como Istambul e os bairros de Eyüp, Kassim Pacha, Pera e Galata, e todos os subúrbios de Silivri, no mar de Marmara, ao mar Negro, no lado europeu, e de Ghili. no Mar Negro até o fim do Golfo de İzmit, no lado asiático.[3]

Em 1878, uma estrutura provincial, com um governador (uale) e oficiais provinciais, foi estabelecida para desempenhar as mesmas funções em Istambul que as autoridades provinciais desempenharam em outras partes do Império. [4]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1864, como resultado da reforma do período Tanzimat, Istambul foi separada da pálete Edirne, que foi transformada em um vilaiete separado (seguindo o exemplo dos estados europeus). Inicialmente, era chefiada por Zabtie-Nazir (Ministro da Polícia). Em 1876, o território do Big Sandzak foi anexado da província do arquipélago à província de Istambul.

Em 1878, após a derrota na guerra russo-turca na aldeia de Sa Stefano, na província de Istambul, foi assinado um tratado preliminar de paz. Ao mesmo tempo, a província foi salva da ocupação pelas tropas russas. No mesmo ano, as posições de zabti-nazir e vali foram divididas. Desde então, os governadores civis foram nomeados (portanto, vários pesquisadores deste ano consideram a existência real da província de Istambul).

Em 1919, após a derrota do Império Otomano na Primeira Guerra Mundial, a província tornou-se uma base para as tropas do sultão e seus apoiadores, que tentaram preservar a monarquia. Em 1920 foi ocupada por tropas gregas. No entanto, como resultado da guerra greco-turca em 1922, a província passou a fazer parte da República da Turquia, mas a própria Istambul perdeu seu status de capital. O Vilaiete de Istambul foi transformada em província de Istambul.

Divisões Administrativas[editar | editar código-fonte]

A ponte de Galata no séculos XIX   

O Vilaiete era dividido em 4 sanjacos (condados) e 8 kazas (municípios): 4 na costa européia e nas ilhas, 5 na costa asiática.

Abaixo a lista dos Sanjacos e kazas, por volta de 1877: [5]

População[editar | editar código-fonte]

O censo de 1914 deu ao Vilaiete de Istambul uma população de 909.978 habitantes, 62% dos quais eram muçulmanos, 23% ortodoxos, 9% armênios e 6% judeus. Em termos nacionais, todos os povos do império estavam representados no Vilaiete: primeiro os turcos, em seguida, gregos, armênios, albaneses, circassianos, tártaros da Crimeia e árabes. A distribuição por kazas em 1914 era a seguinte:

Comunidade Istambul Bakırköy Ilhas dos príncipes PeraVilayet de Constantinopla Üsküdar Gebze Kartal Beykoz Şile Total
Muçulmanos 279.056 28 967 1.586 117.267 70.447 26 220 8.257 14.466 14 168 560.434
Gregos 64.287 11.221 8.257 75.971 19.832 5.856 6.862 3,708 8.913 205.375
Armênios 28.095 5.954 652 30.642 13.949 47 3.216 325 x 82.880
judeus 13.441 364 79 31.080 6.836 x 13 292 x 52.126
De outros 2.013 390 45 6.135 579 21 x 1 1 x 9.163
Total 386.892 46 896 11.087 261.095 111.643 32.144 18.348 18.792 23.081 909 978

Link Externo[editar | editar código-fonte]

Veja Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Geographical Dictionary of the World. Concept Publishing Company. [S.l.: s.n.] 1796 páginas. ISBN 978-81-7268-012-1 
  2. Baker, James (1877). Turkey in Europe. Cassell, Petter & Galpin. [S.l.: s.n.] pp. 515–516 
  3. Baker, James (1877). Turkey in Europe. Cassell, Petter & Galpin. [S.l.: s.n.] pp. 515–516 
  4. Stanford Jay Shaw; Ezel Kural Shaw (1977). History of the Ottoman Empire and Modern Turkey. Cambridge University Press. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-521-29166-8 
  5. Baker, James (1877). Turkey in Europe. Cassell, Petter & Galpin. [S.l.: s.n.] pp. 515–516