Virtuoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Virtuoso (desambiguação).
Exemplos de notáveis virtuosos de várias épocas.
Primeira fileira: Chopin, Paganini, Liszt, Boccherini.
Segunda fileira: Rubinstein, Rachmaninoff, Yo-Yo Ma, Perlman.

Um virtuoso (do latim tardio virtuosus, derivado de virtus, "virtude"[1]) é um indivíduo que possui uma habilidade fora do comum quando utilizando um instrumento musical e consegue combiná-la com habilidades na técnica e na teoria musical. Os virtuosos[2] são frequentemente compositores também. Durante a época da música barroca, muitos, senão todos, os compositores também eram virtuosos em seus respectivos instrumentos. Os virtuosos também são por vezes denominados virtuose, palavra da língua francesa com a mesma etimologia[3].

História[editar | editar código-fonte]

O significado de virtuoso tem a sua origem na Itália dos séculos XVI e XVII, significando um termo honroso reservado às pessoas distinguidas em alguma área intelectual ou artística. O termo evoluiu com o tempo, alargando e simultaneamente estreitando as interpretações que tiveram mais ou menos uso. Originalmente um músico era honrado com a classificação sendo um compositor, teórico ou um famoso maestro, e mais importante de tudo, sendo um artista de grandes qualidades. [4]


Nos séculos XVI e XVII viram o surgimento do termo, que começou a ser atribuído a um grande número de músicos sem qualquer consideração de mérito. Sebastien de Brossard no seu Dictionaire de Musique [5][6] aborda a palavra virtuoso pela sua origem no Latim virtu enfatizando o treinamento excepcional, especialmente a parte teórica. Esta posição foi também defendida por Johann Gottfried Walther em Musicalisches Lexicon (1732), dando mais valor ao teórico do a quem executa a música. Em Der brauchbare Virtuoso [1] (1720) Johan Matthenson mantém o respeito pelo tradicional "theoretische Virtuosen" (virtuoso teórico), mas também presta tributo ao "virtuosi prattici" (virtuoso prático).

Mas a ênfase ao virtuoso teórico também foi defendida por Johann Kuhnau no seu livro O charlatão músico (Der musikalische Quack-Salber, 1700), onde ele define "músico altamente dotado" ou "virtuoso prático" como sendo nada mais do que uma pessoa com grande prática.

Mais tarde, no Século XVIII, o termo começou a ser usado para descrever o músico, instrumentista ou vocalista que seguia uma carreira à solo.

Referências

  1. Vocabolario Treccani: virtuoso
  2. http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=virtuoso
  3. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa - verbete "virtuose"
  4. Grove Music Online (14 de Março de 2006). «Grove Music Online». Consultado em 26 de Março de 2008  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  5. Sebastien, de Brossard. Dictionaire de Musique. 2ª Edição ed. Paris: Christophe Ballard, 1703.
  6. Joëlle Morton (24 de Agosto de 2006). «Brossard». Consultado em 26 de Março de 2008  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.