William Caslon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
William Caslon I em retrato de John Faber Junior.

William Caslon, também conhecido como William Caslon I (Cradley, Worcestershire, 169223 de janeiro de 1766) foi um tipógrafo e fundidor inglês. Montou seu negócio em 1716, em Londres, como gravador de armas e fornecedor de punções e ferramentas para encadernadores de livros.[1] Pelo contato com impressores, foi induzido a abrir uma fundidora de tipos, no que foi muito encorajado por William Bowyer. A distinção e legibilidade de seu tipo asseguraram-no patrocínio das principais impressoras da época na Inglaterra e no continente europeu.[1]

As fontes de Caslon foram inspiradas pelos tipos barrocos neerlandeses, até então os mais comuns no país. Seus trabalho influenciaram John Baskerville e são, portanto, progenitores das classificações de fontes como Transicional (que inclui Baskerville, Bulmer e Fairfield) e Moderna (que inclui Bell, Bodoni, Didot e Walbaum).

Seu trabalho tornou-se popular e foi usado para muitos importantes trabalhos impressos, incluindo a primeira versão impressa da Declaração da Independência dos Estados Unidos da América. As fontes de Caslon tornaram-se tão difundidas que surgiu a expressão "quando em dúvida, use Caslon", sobre a escolha de tipos. Seu uso foi reduzido no século após a morte de Caslon, mas foi retomado nos anos 1840. Muitos revivals dos tipos de Caslon são amplamente utilizados atualmente.

A sepultura de William Caslon está preservada no adro da igreja de St Luke Old Street, Londres.[2]

Caslon Letter-Foundry[editar | editar código-fonte]

A specimen, mostruário de fontes e línguas por William Caslon I, na Cyclopaedia de 1728.

William Caslon fundou a Caslon Foundry por volta de 1720, empresa que se tornou a fundidora de tipos líder na Inglaterra dos séculos XVIII e início do XIX.

Após a morte de William Caslon I, seu filho William Caslon II assumiu os negócios da Caslon Foundry, que duraram até William Caslon IV vender a Letter-Foundry a Blake, Garnett & Co. Em 1792, William Caslon III vendeu sua parte da empresa à mãe e à cunhada, viúva de seu irmão Henry. No mesmo ano, William Caslon III comprou a fundidora Salisbury Square do recentemente morto Joseph Jackson, e a renomeou para Caslon & Son. Em 1807, a Caslon & Son passou para William Caslon IV. Em 1819, William Caslon IV vendeu a Caslon & Son a uma nova fundidora em Sheffield da Blake, Garnett & Co. Em 1837, a Caslon Foundry virou propriedade da Stephenson, Blake & Co.[3] A família da cunhada de William Caslon III manteve a fundidora Caslon principal até 1937, quando Stephenson Blake adquiriu o que restava da H.W. Caslon & Sons.

H. W. Caslon e companhia limitada[editar | editar código-fonte]

Em 1998, Justin Howes restabeleceu a oficina tipográfica sob o nome H. W. Caslon & Company Limited (H. W. Caslon e companhia limitada), com uma versão expandida da fonte ITC Founder’s Caslon como produto inicial da companhia. No entanto, com a morte de Justin Howes em 2005, a reavivada H.W. Caslon & Company não mais negociava, e a Founders Caslon expandida não é mais oferecida no varejo.

Referências

  1. a b Heitlinger, Paulo. «William Caslon I (1692–1766)». Consultado em 16 de setembro de 2009 
  2. «Finsbury, St Luke Old Street, London» (em inglês). 31 de agosto de 2002. Consultado em 16 de setembro de 2009 
  3. «Font Designer - William Caslon» (em inglês). Linotype.com. 3 de julho de 2009. Consultado em 17 de setembro de 2009 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Paulo Heitlinger (2006). Tipografia. origens, formas e uso das letras. Lisboa: Dinalivro. ISBN 10 972-576-396-3 e ISBN 13 978-972-576-396-4 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]