Wilson Tibério

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Wilson Mendonça Tibério (Porto Alegre, 24 de novembro de 1920Mazan, França, 20 de julho de 2005), foi um artista plástico brasileiro[1][2][3], pintor[4], desenhista[5] e escultor[3].

Iniciou seus estudos de desenho aos 13 anos, no Rio Grande do Sul. Em Porto Alegre foi aluno de Bruno Lechowski[2]. Mudou-se para o Rio de Janeiro aos 16 anos. Estudou na Escola de Belas Artes[6]. Dedicou-se à pintura a óleo, com ênfase nos temas afro-brasileiros[7]. Dedicou-se também a retratos[4].

Em 1947, recebe da Embaixada da França uma bolsa de estudos para aperfeiçoar sua técnica de pintura mural. Em setembro de 1947, viaja para Nova Iorque, onde expõe cerca de 50 telas sobre motivos afro-brasileiros. Depois dos Estados Unidos, viajou para o Congo Belga, para retratar cenas da África[8].

Participou ativamente de movimentos políticos[9][10].

Obras[editar | editar código-fonte]

No Brasil há poucos acervos com obras do artista. Uma obra na Pinacoteca Barão de Santo Ângelo, do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e seis obras no Museu Afro Brasil, em São Paulo.

  • Auto-retrato, 1941[11]
  • Cena de candomblé
  • Praça onze[2]
  • Súplica[2]

Exposições[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Dossin, Francielly Rocha (2015). «Wilson Tibério (1916–2005): primeiras notas biográficas sobre o negro mago do pincel». Compartilhamentos na arte: redes e conexões. Anais do 24º Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. Consultado em 13 jul. 2016 
  2. a b c d e «Um pintor humilde: Wilson Tibério e sua arte». Fon Fon. 38 (46): 8,74. 17 nov. 1945. Consultado em 13 jul. 2016 
  3. a b «Wilson Tibério». Sítio dedicado ao artista. Consultado em 13 de julho de 2016 
  4. a b Benezit, Emmanuel; Busse, Jacques (1999). Dictionnaire critique et documentaire des peintres sculpteurs dessinateurs et graveurs de tous les temps et de tous les pays par un groupe d'ecrivains specialistes français et etrangers. 13 4 ed. Paris: Gründ. 634 páginas 
  5. a b Cavalcanti, Carlos; Ayala, Walmir, eds. (1973-1980). Dicionário Brasileiro de Artistas Plásticos. 4. Brasília: Instituto Nacional do Livro. 402 páginas 
  6. Souza, Rivadavia de (16 de abril de 1940). «Wilson Tibério». Rio de Janeiro. A Noite Ilustrada: 12-13. Consultado em 15 jul. 2016 
  7. Machado, Ney; Vieira, Arnaldo (fotografias) (26 de julho de 1947). Com fotografia de W. Tibério preparando uma baiana como modelo.. «As baianas estão se acabando». Rio de Janeiro. Revista da Semana (30): 6-11. Consultado em 15 jul. 2016 
  8. «Viajantes». Rio de Janeiro. Correio da Manhã. 10 páginas. 26 de setembro de 1947. Consultado em 15 jul. 2016 
  9. «Os cientistas, escritores, artistas, técnicos e jornalistas que assinaram a mensagem a Prestes». Rio de Janeiro. Tribuna Popular. 2 páginas. 14 de maio de 1946. Consultado em 15 jul. 2016 
  10. «O pintor Wilson Tibério ingressa no Partido Comunista do Brasil». Rio de Janeiro. Tribuna Popular. 3 páginas. 18 de dezembro de 1946. Consultado em 15 jul. 2016 
  11. Tibério, Wilson (1941). «Auto-retrato». Acervo da Universidade Federal doa Rio Grande do Sul. Consultado em 13 de julho de 2016 
  12. «Notas de belas artes: o julgamento do salão deste ano». Jornal do Brasil. 9 páginas. 18 de setembro de 1941. Consultado em 15 jul. 2016 
  13. «O Salão de Belas Artes». Rio de Janeiro. Ilustração Brasileira. 39 (78): 16-19. 1941. Consultado em 15 jul. 2016 
  14. «Exposição de artistas riograndenses». Jornal do Brasil. 13 páginas. 9 de outubro de 1941. Consultado em 15 jul. 2016 
  15. «Exposições». Diário de Notícias. 17 de outubro de 1945. Consultado em 15 jul. 2016 
  16. «Uma exposição de motivos afro-brasileiros». A Noite. 10 páginas. 16 de outubro de 1945. Consultado em 15 jul. 2016 
  17. «Exposição de motivos afro-brasileiros do pintor Wilson Tibério». Rio de Janeiro. A Manhã. 3 páginas. 17 de outubro de 1945. Consultado em 15 jul. 2016 
  18. Lima, Jorge de (18 de outubro de 1945). «Exposição do pintor negro Wilson Tibério». Rio de Janeiro. A Manhã. 4 páginas. Consultado em 15 jul. 2016 
  19. «Exposições». Rio de Janeiro. Diário de Notícias. 29 de novembro de 1946. Consultado em 15 jul. 2016 
  20. «Belas artes». Jornal do Brasil. 8 páginas. 8 de dezembro de 1946. Consultado em 15 jul. 2016 
  21. Santa Rosa (8 de dezembro de 1946). «Exposições». Rio de Janeiro. Letras e Artes: suplemento de A Manhã. 4 páginas. Consultado em 15 jul. 2016 
  22. «Exposição de um quadro só». Rio de Janeiro. Gazeta de Notícias. 15 páginas. 11 de julho de 1946. Consultado em 15 jul. 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.