Yamaha RX 80

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
RX 80
Fabricante Yamaha
Produção 1980-1983
Tipo Moto Street
Motor 73cc3, monocilíndrico, 2 tempos refrigerado à ar
Potência 8cv a 8.500 rpm
Torque 0,72 kgfm a 8.000 rpm
Transmissão 5 marchas
Suspensão D: Garfo Telescópico
T: Braço Oscilante.
Freios D: Sistema de tambor de acionamento mecânico.;
T: Sistema de tambor de acionamento mecânico.
Pneus D: 2,50 X 17";
T: 2,50 X 17"
Tanque 8,0L com reserva de 1,5L

A Yamaha RX 80 foi a motocicleta nacional de menor cilindrada da Yamaha no Brasil entre 1979 e 1981. Derivada da primeira moto nacionalizada, a RD 50, depois transformada em RD 75, manteve os mesmos 73cc3 da RD 75, porém recebeu componentes semelhantes, na parte inferior do motor, aos usados em toda linha RX. A modificação aumentou um pouco o peso (5 quilos) em relação à RD 75, porém melhorou a potência em 0,7cv. A RX 80 foi uma boa opção para iniciantes e uso em trânsito urbano. O Tacômetro não equipa a moto original, mas pode ser adaptado.

O motor de 2 tempos, 73cc3, desenvolve 8cv a 8.500 rpm é refrigerado a ar. Permite boa aceleração cm baixa rotação e tem boa retomada de velocidade sem necessidade de altas rotações. Aproveita diversos componentes da RX 125 (virabrequim, engrenagens, magneto, embreagem, unidade de câmbio, bloco central e tampas laterais entre outros componentes). O câmbio é de cinco marchas e tem escalonamento aceitável. Pelos componentes comuns é possível transformar com facilidade a RX 80 em uma RX 125 (substituindo pistão, anéis, cilindro, cabeçote) embora não seja aconselhável pela estrutura da moto e dimensionamento dos freios.

A suspensão é do tipo convencional com garfo telescópico na dianteira e molas helicoidais externa nas bengalas. A traseira funciona com braço oscilante, amortecedores hidráulicos com molas helicoidais acopladas, sem regulagens. Os freios são por tambores com 110 mm de diâmetro, bastante eficientes, permitindo até travar a roda dianteira em médias velocidades.

Pela semelhança com as outras RX, as peças da RX 80 são facilmente encontráveis nos itens comuns as outras motos da linha. Como todas as motos de motor 2 tempos, a manutenção, apesar de mais frequente, é mais simples pela ausência de válvulas e outros componentes próprios de motores 4 tempos. O sistema Autolube (lubrificação automática) é bastante prático, dispensando fazer-se a mistura óleo/gasolina no tanque.

A posição de dirigir é confortável, permitindo utilizar a boa estabilidade e excelente capacidade de manobra. A maior restrição é feita para motociclistas altos, para quem as pequenas dimensões da moto e a posição das pedaleiras podem trazer algum desconforto por obrigá-los a ficar com as pernas muito dobradas. Apesar de excelente para o trânsito urbano, pode ser utilizada em viagens, desde que o motociclista tenha tranquilidade de manter-se no rendimendo dos 73cc3, sem forçar a moto. O consumo de combustível, embora varie de acordo com o uso, tem média de 40,8 km/l.[1] A velocidade máxima é de 94,1 km/h com o piloto abaixado.[1]

Carona[editar | editar código-fonte]

Em 1981 foi lançada uma versão simplificada e mais barata da RX 80, a Carona. Utiliza o mesmo quadro, suspensões, motor e design. Porém sofreu algumas alterações visando o menor custo: a caixa de mudanças é de 4 marchas, não possui cromados e a sinaleira e piscas são os mesmos da RX 125. Bem como a RX 80, a Carona buscou os jovens motociclistas como público alvo, pois motocicleta seu valor era bem inferior as 125cc da época, também era muito econômica em combustível, chegando a 44,4 km/l na estrada.[1]

Desempenho e economia[editar | editar código-fonte]

Velocidade máxima: 94,1 km/h[1]
Consumo a 60 km/h, velocidade constante em última marcha: 59,3 km/l[1]
Consumo médio na cidade: 29,7 km/h[1]
Consumo médio na estrada: 44,4 km/h[1]
Aceleração de 0 a 60 km/h: 9,8 segundos (utilizando 1ª, 2ª e 3ª) [1]
Frenagem a 60 km/h: 13,40 metros[1]

Características técnicas[editar | editar código-fonte]

Motor[editar | editar código-fonte]

Motor: Monicilíndrico, 2 Tempos, refrigerado à ar, possui Torque Induction.
Cilindro: em ferro fundido com camisa de aço inclinado para frente.
Cilindrada: total de 73cc3, pistão de 43mm de diâmetro com 50mm de curso.
Taxa de compressão: 7,2 : 1.
Carburador: Mikuni VM 20 SH de fluxo horizontal com 20mm de venturi..
Ignição: Sistema com magneto e platinado. Fonte de carga da bateria provém do magneto. Sistema de partida primária do motor à pedal.
Lubrificação: Injeção direta de óleo 2 Tempos no carburador por meio de bomba autolube. Capacidade de óleo do cárter de 0,7 litros. Capacidade do reservatório do óleo 2 tempos de 1 litro.
Filtro de ar: Espuma de poliuretano úmido com óleo 2 tempos.
Relação de marcha lenta: 1250 RPM

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Sistema de redução primária: Por engrenagem.
Relação de redução primária: 19/74 (3,894).
Sistema de redução secundária: Por corrente.
Relação de redução secundária: 39/16 (2,437).
Embreagem: Multidisco banhada a óleo.
Tipo de caixa de marchas: Engrenamento constante, 5 marchas à frente.
Sistema de operação: Operação com pedal do lado esquerdo.

Relação de transmissão:
1ª (Primeira): 2,833
2ª (Segunda): 1,875
3ª (Terceira): 1,368
4ª (Quarta): 1,091
5ª (Quinta): 0,916

Dimensões e pesos[editar | editar código-fonte]

Comprimento total: 1.852mm
Largura total: 630mm
Altura total: 970mm
Distância entre eixos: 1.185mm
Vão livre mínimo: 150mm
Peso: Líquido (seco) de 82 kg.

Pneus
Dianteiro: 2,50 X 17'; pressão de 23 libras/Pol2.
Traseiro: 2,50s X 17';pressão de 28 libras/Pol2.

Suspensão
Dianteira: Garfo telescópico.
Traseiro: Braço oscilante.
Capacidade de óleo no garfo dianteiro: 162cc por bengala.

Amortecedores
Dianteiro: Mola helicoidal e amortecedor hidráulico incorporado.
Traseiro: Amortecedor hidráulico com molas helicoidais.

Instalação e equipamentos elétricos[editar | editar código-fonte]

Tipo de bateria: 6V
Fonte de carga: Magneto
Vela de ignição: B8VS (NGK)
Abertura do platinado: 0,35mm a 0,4mm

Ver também[editar | editar código-fonte]

[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i j Revista 4 Rodas Motociclismo (Setembro de 1981). [. «As motos nacionais»] Verifique valor |url= (ajuda). Revista 4 Rodas - Motociclismo Setembro de 1981. Consultado em 1981  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)