Alminhas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alminhas da Veiga, Castro Laboreiro

As Alminhas são padrões de culto aos mortos, hoje consideradas património artístico-religioso. São pequenos altares onde se pára um momento para deixar uma oração. É frequente encontrar velas e lamparina acesas, deixadas pelas pessoas que passam no local, ou mesmo oferendas de flores.

Geralmente, as alminhas são erguidas em encruzilhadas de caminhos, quase sempre em caminhos rurais, em matas ou perto de cursos de água, embora também se possa encontrar alminhas junto às estradas nacionais. As alminhas também podem ser incrustadas em velhos muros ou na frontaria de casas e podem ser construídas nos mais diversos materiais.

Aos diferentes estilos de alminhas dá-se o nome de:

  • colunas de granito trabalhadas
  • capelinhas
  • nichos
  • estelas

Um painel pintado a óleo, ou de azulejo, representa as almas do purgatório. No distrito de Aveiro as aras votivas eram chamadas de "alminhas dos mouros" ou "almas dos mouros".[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alminhas
  • As Alminhas [1]
  • Alminhas - A Saga da Preservação[2]
  • Alminhas[3]]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.