Capelinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Capelinha
"Capela City"
"Cidade do Café"
"
Vista do Mirante do Vila Operária

Vista do Mirante do Vila Operária
Bandeira de Capelinha
Brasão de Capelinha
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 24 de fevereiro
Fundação 24 de fevereiro de 1913 (101 anos)
Gentílico capelinhense[1]
Prefeito(a) Zezinho da Vitalina (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Capelinha
Localização de Capelinha em Minas Gerais
Capelinha está localizado em: Brasil
Capelinha
Localização de Capelinha no Brasil
17° 41' 27" S 42° 30' 57" O17° 41' 27" S 42° 30' 57" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Jequitinhonha IBGE/2013[2]
Microrregião Capelinha IBGE/2013[2]
Municípios limítrofes Água Boa, Angelândia, Aricanduva, Itamarandiba, Minas Novas, Setubinha, Turmalina, São Sebastião do Maranhão e Veredinha
Distância até a capital 427[3] km
Características geográficas
Área 965,901 km² [4]
População 36 740 hab. estatísticas IBGE/2013[5]
Densidade 38,04 hab./km²
Altitude 1100 m
Clima tropical de altitude Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,653 médio PNUD/2010[6]
PIB R$ 239 226 mil IBGE/2010[7]
PIB per capita R$ 6 875,11 IBGE/2010[8]
Página oficial
Prefeitura [1]

Capelinha é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Sua população estimada em 2013 era de 36 740 habitantes.[5] É sede da Microrregião de Capelinha, região mais ocupada demograficamente do Vale do Jequitinhonha, exercendo na região uma polarização econômica, educacional, cultural, empresarial e esportiva. Única cidade da região a possuir um Aeroporto e um Anel Rodoviário. É a nova sede do futuro campus da UFVJM e do IFNMG. A povoação se iniciou em 1812, a partir da construção da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça por Feliciano Luiz Pego.

Possui um micro-clima frio em relação ao resto do Vale do Jequitinhonha, seu ponto mais alto atinge os 1200 metros de altura na Serra da Noruega e a sede urbana se localiza a 900 metros de altitude, fato que contribui para as constantes geadas e dias gélidos no inverno. No Século XX, um historiador suíço que esteve na cidade, denominou-a em um relato como a "Suíça Brasileira", em plena referência ao seu clima.

Capelinha sempre evidenciou-se pela produção agrícola. A partir da Década de 1970 começou a receber investimentos em plantio de Eucalipto pela Acesita Energética, atual Aperam South America que hoje mantem no município a maior floresta artificial do Planeta, produzindo Bioenergia à base do Eucalipto. Na área de cafeicultura, se consolidou nas últimas décadas como um auspicioso parque cafeeiro nacional, polarizando eventos, seminários e encontros nacionais de cafeicultores. Cerca de 90% do café originário de Capelinha é exportado para os Estados Unidos e Europa. O setor porém, já representou mais à economia da cidade.

A cidade vem alçando vertiginoso destaque no estado de Minas Gerais. Verifica-se na cidade um amplo crescimento econômico, justificado especialmente pelo crescimento demográfico e extensas complementações econômicas, como o Aeroporto de Capelinha[9] , UFVJM[10] o IFNMG[11] , o Distrito Industrial[12] e a expansão urbanística caracterizada pela criação de novos bairros planejados.[13]

Mapa Urbano de Capelinha

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localizada a mais de 900 metros de altitude, é famosa pelo intenso frio no inverno, o que atrai relativo número de turistas em sua principal festa, o Capelinhense Ausente.

História[editar | editar código-fonte]

A história de Capelinha remonta-nos ao ano de 1808, quando Manoel Luís Pego, um descendente de portugueses, instalou-se às margens do Córrego Areão, que corta o centro da cidade, Manoel Luís Pego fora designado pelo Rei de Portugal Dom João VI a desapropriar e expulsar os índios da região do Vale do Jequitinhonha a fim de criar para o Governo Imperial fazendas agropecuárias. Manoel Luís Pego começou a ser perseguido pelos índios da Tribo Aranãs, pertencente aos Índios Aranã, por tentar expulsá-los de suas terras. Em 1808, fugido dos índios, se instalou às margens do córrego.

Após a morte de Manoel Luís Pego, seu filho, Feliciano Luís Pego construiu um pequena capela dedicada à Nossa Senhora da Graça. Em torno da capela formou-se gradualmente um vilarejo, composto por pessoas de vilas vizinhas que migravam à cidade em busca de terras férteis e lavradias.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

A origem do nome provem do início do povoamento do vilarejo. Descendente de europeus e dono de fortes crenças católicas, Manoel Luís Pego, após a sua morte deixou a seu filho a tarefa de construir uma capela de Nossa Senhora da Graça, assim edificada, a pequena capela de Nossa Senhora da Graça, passou a ser denominada pelas povoações próximas pelo nome "Capelinha de Nossa Senhora da Graça".

Ao longo dos anos, na data de emancipação político-administrativa, em 1913, o povoamento já era popularmente conhecido como "Capelinha".

Bairros[editar | editar código-fonte]

Capelinha é dividida nos seguintes bairros:

  • Acácias: Residencial.
  • Água Santa: Comercial/Residencial.
  • Alphaville: Residencial (em construção).
  • Aparecida: Residencial.
  • Bela Vista: Residencial.
  • Bouganville: Residencial.
  • Bourbon: Residencial (em construção).
  • Centro: Comercial.
  • Cidade Nova: Comercial.
  • Jardim Aeroporto: Residencial.
  • Maria Lúcia: Comercial/Residencial.
  • Morada Nova: Residencial (em construção).
  • Nova Esperança: Residencial (em construção).
  • Piedade: Comercial/Residencial.
  • Planalto: Comercial.
  • São Geraldo: Residencial.
  • Sub-Estação: Residencial.
  • Vila Operária: Comercial/Residencial.
  • Vista Alegre: Residencial.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Na cidade estão surgindo novos bairros residenciais, atraindo populações de cidades vizinhas em busca de empregos no médio setor comercial da cidade.

A população se demonstra etnicamente diversa, o povoamento iniciou-se com europeus e historicamente recebeu pessoas de cidades vizinhas com comunidades quilombolas. Socialmente, observa-se um grande contraste, ilustrado por uma classe média formada nos bairros Acácias e Cidade Nova, diferente da situação carente de algumas famílias dos bairros Vista Alegre, Aparecida e Subestação.

Desenvolvimento atual[editar | editar código-fonte]

Capelinha foi fundada em 1809 por Manuel Luiz Pego. Sua emancipação político-administrativa ocorreu no dia 24 de fevereiro de 1913, e em 2013, o município comemorou o seu centenário. De acordo com o IBGE, Capelinha possui um colégio eleitoral composto por mais de 25.000 pessoas, a cidade possui atualmente 18 bairros, 320 vias públicas, frota de 14.000 veículos, 10.400 ligações da água da COPASA, 14.050 ligações de luz da CEMIG, 11.300 alunos matriculados nas redes de ensino e 1.100 estabelecimentos comerciais formais que geram quase 5 mil empregos diretos.

Além do comércio atuante, as principais atividades econômicas de Capelinha também giram em torno da cafeicultura com uma produção média anual superior a 200.000 mil sacas, da silvicultura com plantios de eucalipto, do comércio de madeiras tratadas e da expansão pecuária. Em 2012, Capelinha conquistou o 5º lugar no ranking nacional da educação, detém o 2º maior PIB e a maior renda per capita entre todos os municípios do Vale do Jequitinhonha. Hoje, possui a quarta maior população do Vale, apresenta um crescimento demográfico superior às demais cidades, e em 10 anos será a maior cidade do Jequitinhonha.

Outro setor que vem ganhando destaque em Capelinha é o da construção civil associada com a expansão imobiliária. Só nos últimos três anos, o índice de crescimento no setor é de uma nova casa por dia. A tendência em Capelinha é a expansão urbana, o número de construções crescem nos bairros já existentes como o Acácias, Bouganville e Jardim Aeroporto, outros inúmeros bairros estão em implantação na cidade, como o Bairro Nova Esperança, que será inteiramente composto por moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida, além dos futuros Residencial Morada Nova, Jardim Buritis, Codomínio Alphaville e Condomínio Bourbon.

Capelinha está no PDI da Universidade Federal dos Vale do Jequitinhonha e Mucuri para a implantação de um campus na cidade, os cursos já foram definidos em Audiência Pública e a Prefeitura Municipal adquiriu um área de 50 hectares junto à Aperam Bioenergia para as obras do campus e do Parque Tecnológico, além da unidade do Instituo Federal do Norte de Minas Gerais. O CVT (Centro Vocacional Tecnológico) de Capelinha, está se transformando em Rede UAITEC, ofertando cursos superiores gratuitos à distância em várias áreas.

Capelinha possui um Aeroporto Regional, o Aeroporto Regional Doutor Juscelino José Ribeiro, em condições de receber aeronaves com capacidade para mais de 60 passageiros. A operação normal do Aeroporto só depende, agora, de sua homologação pela ANAC, uma vez que os técnicos já fizeram toda a vistoria no local.

A Prefeitura de Capelinha está elaborando três projetos importantes: a implantação do Distrito Industrial, que iniciará um industrialização em massa, a construção do novo Terminal Rodoviário fora do Centro da cidade e a construção do Centro Administrativo, que abrigará todas as secretarias municipais.

Espaço Monumento no Centro de Capelinha.
Edifício Vitória, Rua Governador Valadares, Centro.

Imprensa[editar | editar código-fonte]

Nos meios de comunicação em massa destacam-se Rádios FM (Aranãs FM, Geração FM), Rádios Web (Rádio Kpela Mix), Jornais Impressos (Acontece Regional, Folha do Vale, Jornal Sou Mais Minas), Revista ( Revista Sou Mais Minas) e Jornais Virtuais (Capelinha Net, Aconteceu No Vale, Aranãs Notícias, Portal da Cidade, Portal de Capelinha).

Educação[editar | editar código-fonte]

UFVJM em Capelinha[editar | editar código-fonte]

No dia 16 de março de 2012, foi estabelecida a instalação de um campus da UFVJM (Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri). Capelinha pleiteava o campus que seria destinado ao Alto Jequitinhonha (Microrregião de Capelinha). A escolha foi feita após a elaboração de um parecer técnico feito por uma comissão indicada pelo CONSU (Conselho Universitário) e pelo MEC (Ministério da Educação). O local onde o campus será construído é um terreno disponibilizado pela Aperam BioEnergia, tem 20 hectares e é bem próximo ao centro da cidade. A previsão do começo dos primeiros cursos na cidade é para 2015.

Alfa em Capelinha[editar | editar código-fonte]

Capelinha, além da UFVJM, terá, a partir de 2014, outra faculdade presencial. Trata-se da Universidade Alfa, cujo proprietário é o deputado estadual Neilando Pimenta. A faculdade funcionará no prédio do Instituto Educacional Manuel Luís Pego. Inicialmente, será oferecido o curso de engenharia civil. Posteriormente, serão implantados os cursos, engenharia ambiental, farmácia e fisioterapia, formalizando um campus.

Escolas[editar | editar código-fonte]

Capelinha conta com diversas escolas, sendo elas: 41 com ensino fundamental, 6 com pré-escola e 6 com ensino médio e 1 com nível Técnico. . As principais escolas da cidade são a E.E.Coronel Coelho no Ensino Fundamental Anos Iniciais. E.E. Dr. Juscelino Barbosa , E.E.Rosarinha Pimentinha, E.E.Domingos Pimenta de Figueiredo e E. E. Professora Hermínia Eponina da Silva no Ensino Fundamental.e E.E. Prof. Antônio Lago e E. E professora Geralda Otoni Anos Finais do Ensino Fundamental e no ensino médio e Colégio Politécnico Dom Luciano nível Técnico.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Capelinha conta com apenas um hospital público, a Fundação Hospitalar São Vicente de Paulo, que em breve receberá uma UTI Neonatal que será a primeira da região, as obras começaram em 2013, e a previsão do término é para 2014.

É bem equipado, porém o único a atender toda a população de Capelinha e região, a população de cidades vizinhas como Angelândia, Água Boa, Aricanduva e Turmalina busca no hospital de Capelinha atendimentos médicos mais complexos.

A base de operação do SAMU em Capelinha, entrou em funcionamento em 2013, sendo equipada com um novo ambulatório, há na cidade três tipos de ambulâncias do SAMU, sendo elas:

  • USA – Unidades de Suporte Avançado (UTIs móveis), usadas em casos mais graves.
  • USB – Unidades de Suporte Básico.
  • VT – Veículos de Transporte, são usadas em casos mais simples.

Existem postos de saúde espalhados na cidade que compõem a rede de saúde.

Economia[editar | editar código-fonte]

A Economia da cidade de Capelinha tem sido expandida consideravelmente nos últimos anos devido investimentos na área agrícola, em especial nas monoculturas de café e eucalipto que geram ao município uma grande parcela de seu PIB.

Anel Rodoviário de Capelinha.

Trânsito e veículos[editar | editar código-fonte]

Rua Governador Valadares: A mais importante via de fluxo de carros e pessoas no Centro.
Semáforos controlando trânsito no Centro de Capelinha.

Capelinha é a cidade que tem a maior frota de veículos da microrregião. Segundo informações do Denatran, em janeiro de 2012 a frota de veículos era de 11.855, 11,4% a mais que o mesmo período de 2011. Ainda segundo o Denatran, a cidade possuía em janeiro 3.998 automóveis, 5.278 motocicletas, 1.010 caminhonetes, 641 caminhões, dentre outros veículos. A média de veículos em Capelinha é de 1 a cada 3 habitantes.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Futebol[editar | editar código-fonte]

Assim como na maioria dos municípios brasileiros, o esporte mais popular em Capelinha é o futebol. A cidade conta com inúmeros times de futebol, além de vários campeonatos, podendo se destacar o Campeonato Municipal de Clubes, o Campeonato Municipal de Bairros, o Campeonato Municipal Rural e a consagrada Copa Aranãs FM.

Futsal[editar | editar código-fonte]

A equipe de futsal feminino da Escola Estadual Professora Rosarinha Pimentinha (escola da cidade) é a atual campeã das Olimpíadas Escolares que ocorreu em Poços de Caldas, no Sul de Minas em setembro de 2012. Isso deu um reconhecimento a nível nacional do esporte capelinhense.

Jiu-jítsu[editar | editar código-fonte]

Capelinha é a cidade natural do competidor de jiu-jítsu Petrônio Batista, ele começou representando Capelinha a nível estadual, depois se classificou para o nível nacional e em 2008 conseguiu representar o Brasil e conquistar o título no Campeonato Mundial de jiu-jítsu realizado em São Paulo, no ano seguinte também representou o Brasil no Mundial de Dubai nos Emirados Árabes.

O lutador lutou vários anos na Alemanha.

Petrônio soma diversos títulos de campeonatos municipais, tem 8 títulos mineiros, 2 nacionais e 1 mundial.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça[editar | editar código-fonte]

Gruta de Nossa Senhora das Graças. Ao fundo Torre da Igreja Matriz do Centro
Edifíco da Caixa Econômica Federal na Rua Governador Valadares

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça é a sede de uma das paróquias da cidade de Capelinha, a Igreja passou por várias transformações até assumir a sua forma atual, a Igreja é um símbolo capelinhense, acompanha Capelinha desde o início da chegada de Manoel Luís Pego na cidade, quando ele construiu uma pequena capela para rezar com sua família.[carece de fontes?]

A última transformação da Igreja que deu o nome à cidade foi feita por iniciativa do Cônego Ricardo Luís dos Santos que mobilizou a população pedindo doações para a reforma da Igreja Matriz, muitos contribuíram, e, as obras que começaram em 2009 foram concluídas em 2011, toda a parte do teto que antes era de madeira foi substituída por estruturas metálicas, a Igreja foi forrada e a parte do altar da Igreja Matriz foi totalmente reformulada.[carece de fontes?]

Hotelaria[editar | editar código-fonte]

Hotel Aranãs no Bairro Planalto.

A cidade de Capelinha possui uma boa Rede Hoteleira consolidada. Atualmente os hotéis com melhores avaliações são o Hotel Aranãs e o Hotel Catuaí, que são abrigados por grandes edificações. A Rede é composta também por outros hotéis de menor porte e pousadas. Apesar de alguns hotéis estarem sendo construídos em Capelinha, é necessária uma amplificação em massa de sua Rede Hoteleira, pelo crescente número de eventos de negócios agrícolas e feiras agropecuárias, que atraem bom número de empresários oriundos das mais diversas partes do país, e pelo expressivo número de turistas na principal festa de Capelinha, a Festa do Capelinhense Ausente, além do crescimento demográfico projetado para Capelinha nos próximos anos, principalmente pela vinda da Universidade Federal em 2015.

Bancos[editar | editar código-fonte]

Agência do Banco SICOOB no Centro de Capelinha

A cidade de Capelinha possui diversos bancos, isso proporciona à população ter uma variedade de opções para abrir contas em diferentes agências.

Na cidade estão presentes o Banco do Brasil, o Bradesco, a Caixa Econômica Federal, BNB-Banco do Nordeste do Brasil e o SICOOB da Cooperativa de crédito do Brasil, que são quatro dos principais bancos do país, também está presente na cidade o Banco do Nordeste.

Existem também diversas empresas que oferecem à população empréstimos, com opções boas de parcelamento.

Festa do Capelinhense Ausente[editar | editar código-fonte]

A Festa do Capelinhese Ausente é a mais popular manifestação cultural da cidade. Realizada desde 1986, no mês de julho, a festa cresceu ao longo dos anos e hoje recebe pessoas das mais diversas regiões do Brasil, em 2013 a festa completou 27 anos e é o principal evento musical de todo Vale do Jequitinhonha. É tradicionalmente realizada no Parque de Exposições, no Bairro Acácias. É montado um grande Parque de Diversões no Parque, além das grandes estruturas para os palcos que recebem 3 shows por noite.

Criada por Dão Soyer e Juracy Lopes Soyer, a festa foi criada para levantar fundos para a festa de São Vicente De Paulo.

Comunidades rurais[editar | editar código-fonte]

As principais comunidades rurais capelinhenses são:

  • Bom Jesus do Galego
  • Caiana
  • Chapadinha
  • Fazendinha
  • Grilo
  • Maracujá
  • Ponte Nova
  • Resplendor
  • São Caetano
  • Santo Antônio do Fanado
  • Vendinhas
  • Manoel Luís
  • Ponte Velha
  • Alto Grande
  • Gouveia
  • Letreio
  • Mumbuca

Estádio Municipal Newton Ribeiro[editar | editar código-fonte]

O estádio da cidade, o Newton Ribeiro, foi inaugurado no ano de 2001 com uma partida amistosa entre o Cruzeiro e o Vila Nova de Nova Lima.[carece de fontes?]

Aeroporto[editar | editar código-fonte]

Capelinha conta com um aeroporto, o Aeroporto Regional Dr. Juscelino José Ribeiro. O Aeroporto é o único da região. Foi inaugurado pelo então governador Aécio Neves em 26 de janeiro de 2010. Os voos regulares ainda não se iniciaram, pois ainda falta a regulamentação do mesmo. Apesar disso, a empresa Trip já demonstrou interesse nesse tipo de voo na cidade. Duas empresas da cidade, a VJS e a 1001 Embalagens já possuem aeronaves próprias. Além do mais, a VJS disponibiliza a sua aeronave para fretamentos. Nos últimos anos, ganha um papel de impulso ao crescimento regional.

Aeroporto de Capelinha

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Rádio Aranãs FM[editar | editar código-fonte]

Há mais de duas décadas no ar, Rádio Aranãs FM foi a pioneira na imprensa Capelinhense. Um dos destaques da programação da rádio é a parceria com a Rádio Itatiaia de Belo Horizonte. A Aranãs FM exibe as duas edições do Jornal da Itatiaia, além dos jogos de futebol de Atlético-MG, Cruzeiro e América-MG.

É a rádio mais ouvida de Capelinha e região, contabilizando mais de 400.000 ouvintes por dia. Além de Capelinha, é sintonizada nas cidades de Angelândia, Aricanduva, Água Boa, Veredinha, Turmalina, Minas Novas, Leme do Prado, Santa Maria do Suaçuí, Malacacheta, Setubinha, Novo Cruzeiro, Carbonita, Senador Modestino Gonçalves, Coluna, Frei Lagonegro, Coluna, São José do Jacuri, José Raydan, Serro, Alvorada de Minas, Santo Antônio do Itambé, Chapada do Norte, Berilo, Virgem da Lapa, São Sebastião do Maranhão, São João Evangelista, Rio Vermelho, Senador Mourão, Planalto de Minas, São Gonçalo do Rio Preto, Diamantina, Francisco Badaró, Peçanha, Cantagalo, Botumirim e Grão Mogol. Transmite missas diretamente da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Graças aos domingos, costuma lançar promoções para os seus ouvintes, realiza anualmente a famosa Copa de Futebol Aranãs FM e possui equipe de noticiário regional.

Rádio Geração FM[editar | editar código-fonte]

A Rádio Geração FM nasceu com um intuito de ser uma emissora eclética e voltada à todo povo Capelinhense, situação essa que não existia na mídia regional. Nos últimos anos, ela vem se fortificando, se destacando e ganhando muito espaço , com programas variados, trazendo entrevista, jornalismo e esporte, transmitindo partidas da Seleção Brasileira de Futebol, Cruzeiro, Atlético e América nas mais variadas competições, isso tudo via parceria que ela tem com a Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, e claro, contando também sempre com aquela dose de humor em sua programação. A rádio Geração Fm - 87,9 tem por prioridade institucional não ser uma rádio "exclusivista", mas sim aberta a todos os seguimentos da sociedade, sem fazer acepção de "religião, credo e afins". A Geração Fm também pode ser ouvida via internet: www.geracaofm.net, contando sempre com a participação do ouvinte em "todos" os programas. Geração Fm, a mais gostosa da cidade de café!

Televisão[editar | editar código-fonte]

Apesar de seu potencial sócio-econômico, Capelinha não tem nenhuma rede de televisão afiliada, seguindo a tendência de algumas cidades do Vale do Rio Doce. Praticamente todos os domicílios capelinhenses contam com Antenas parabólicas, Televisão por assinatura ou TV Digital. O mercado de televisão por assinatura, vem crescendo, Capelinha recebe sinal da SKY, Claro TV, Oi TV, Nossa TV e GVT além de já ser atendida por um escritório regional da SKY.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). Capelinha - Histórico Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 16 de outubro de 2013. Cópia arquivada em 16 de outubro de 2013.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (19 de julho de 2013). Divisão Territorial do Brasil Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 16 de outubro de 2013.
  3. Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG). Distâncias BH/Municípios. Página visitada em 19 de agosto de 2009.
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  5. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data em 1º de julho de 2013. Página visitada em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  6. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Página visitada em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Minas Gerais. Página visitada em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Minas Gerais. Página visitada em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  9. Governador inaugura aeroporto e libera recursos para Capelinha (2010). Página visitada em 04/06/2014 de 2014.http://www.der.mg.gov.br/component/content/article/1059-governador-inaugura-aeroporto-e-libera-recursos-para-capelinha-
  10. http://www.pmcapelinha.mg.gov.br/site/index.php/secretarias/item/1514-capelinha-avanca-na-luta-pelo-campos-da-ufvjm/1514-capelinha-avanca-na-luta-pelo-campos-da-ufvjm
  11. http://www.capelinha.net/2013/03/capelinha-conclui-mais-um-passo-para.html
  12. http://www.capelinha.net/2014/06/capelinha-quer-atrair-industrias.html#more
  13. http://www.capelinha.net/2014/02/capelinha-tera-6-novos-bairros-ate-2015.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.