Ana Sofia de Hesse-Darmstadt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ana Sofia II
Abadessa de Quedlimburgo
Condessa de Hesse-Darmstadt
AnnaSophieHeDaQued.jpg
Ana Sofia
Governo
Vida
Nascimento 17 de Dezembro de 1638
Marburgo, Alemanha
Morte 13 de Dezembro de 1683 (44 anos)
Abadia de Quedlimburgo, Alemanha
Pai Jorge II de Hesse-Darmstadt
Mãe Sofia Leonor da Saxónia

Ana Sofia de Hesse-Darmstadt (17 de dezembro de 1638 - 13 de dezembro de 1683) foi uma nobre alemã que reinou como princesa-abadessa de Quedlimburgo com o nome de Ana Sofia II.

Família[editar | editar código-fonte]

Ana Sofia era a oitava filha do conde Jorge II de Hesse-Darmstadt e da princesa Sofia Leonor da Saxónia. Os seus avós paternos eram o conde Luís V de Hesse-Darmstadt e a marquesa Madalena de Brandemburgo. Os seus avós maternos eram o príncipe-eleitor João Jorge I da Saxónia e a duquesa Madalena Sibila da Prússia.1

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Ana foi educada como luterana num ambiente profundamente religioso, tornando-se mais tarde numa intelectual.2

Escrita[editar | editar código-fonte]

Em 1665, quando tinha dezassete anos, Ana Sofia entrou na Abadia de Quedlimburgo. Em 1658 publicou um livro sobre meditação espiritual chamado Der treue Seelenfreund Christus Jesus. Inicialmente os teólogos luteranos acharam o livro suspeito, argumentando que este se referia a homens e mulheres como iguais, mas depois aprovaram-no. Ana Sofia justificou o seu trabalho como era norma no século XVII, afirmando que se organizava de acordo com a ordem de Deus. Sendo abadessa e luterana ao mesmo tempo, Ana Sofia também defendeu a sua escolha de permanecer solteira no livro.3

Freira e abadessa[editar | editar código-fonte]

Ana Sofia viu a sua fé abalada quando a sua irmã mais velha, a condessa Isabel Amália de Hesse-Darmstadt, se converteu ao catolicismo, chegando mesmo a considerar deixar Quedlimburgo para seguir o exemplo da irmã, mas acabou por mudar de ideia.4

Apesar de sofrer de "tosse crónica", Ana Sofia foi escolhida para suceder à princesa-abadessa Ana Sofia I na Abadia de Quedlimburgo em 1681, escolhendo a duquesa Ana Doroteia de Saxe-Weimar para sua assistente em 1683. Ana Sofia morreu no mesmo ano, depois de ter reinado durante dois anos e foi sucedida por Ana Doroteia.

Referências

  1. The Peerage
  2. Stevenson, Jane (2005). Women Latin poets: language, gender, and authority, from antiquity to the eighteenth century. Oxford University Press. ISBN 0198185022.
  3. Bruce Barnes; Kolb; Presley; McCune Kingdon, Robin; Robert A.; Paula L.; Robert (1998). Habent Sua Fata Libelli/Books Have Their Own Destiny: Essays in Honor of Robert V. Schnucker. Truman State University Press. ISBN 094047459X.
  4. Becker-Cantarin, Barbara (2004). Daphnis: Zeitschrift für Mittlere Deutsche Literatur und Kultur der Frühen Neuzeit. Band 31, No 3-4. Rodopi. ISBN 9042016310.