Bibliografia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma bibliografia é uma lista estruturada de referências a livros ou outros documentos, designadamente artigos de periódicos, com características comuns, como por exemplo, o mesmo autor ou o mesmo assunto[1] .

Uma bibliografia é constituída por referências bibliográficas, ou seja, pela identificação de cada uma das obras que constitui a bibliografia, através de elementos como o autor, o título, o local de edição, a editora e outros.

A primeira bibliografia publicada data de 1494 (Liber de scriptoribus ecclesiasticis)[2] . Já a primeira bibliografia universal é de 1545 (Biblioteca universalis, de Conrad Gesner)[3] . A primeira bibliografia nacional é inglesa e foi consagrada aos escrivãos (John Bale, 1549)[4] .

Embora a palavra bibliografia só tenha surgido em 1633, a atividade que ela designa remonta à Antiguidade: catálogo, repertório, índice, inventário, e todas as formas pelas quais os eruditos têm procurado reunir, sobre um assunto ou dentro de uma disciplina, à informação mais completa.

A partir do século XVIII, a bibliografia se diversificou, tornando-se uma "ciência do livro", apurada no século XX com as técnicas de documentação.

Mais recentemente, com a invenção do meio virtual, a palavra bibliografia pôde englobar não só seus sentidos com livros e documentos impressos ou manuscritos, mas também com os ditos e-books (livros eletrônicos) e outros meios de publicação digital, entre eles a internet.

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. iDicionário Aulete, s.v. «Bibliografia».
  2. Trithemius, Johannes. [Schaff,_EN.pdf] Gennadius Massiliensis – Liber De Scriptoribus Ecclesiasticis.
  3. Bibliotheca universalis sive catalogus omnium scriptorum locupletissimus in tribus linguis Latina, Graeca et Hebraica: extantium & non extantium, veterum & recentiorum.
  4. Cf. John Bale na Encyclopedia Britannica.

Ver também[editar | editar código-fonte]