Canhão de 88 mm

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página atravessa um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a contribuir e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Odacir Blanco (D C) há 17 dias atrás. (Recarregar)

Flak 88.

O canhão de 88 mm Flak 18/36/37/41 e Pak 43 foi uma peça de artilharia alemã utilizada durante a Segunda Guerra Mundial tanto para a defesa antiaérea como arma antitanque, sendo capaz de penetrar na blindagem de qualquer veículo aliado daquela época. [1] [2]

Flak é uma contração alemã tanto para Fl(ieger)a(bwehr)k(anone) quanto para Fl(ug)a(bwehr)K(anone).

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Um Flak 88 da Wehrmacht em 1942.

A maioria das armas antiaéreas da Primeira Guerra Mundial foram adaptações de armas de médio calibre montadas de maneira que fosse possível utilizá-las com um amplo ângulo de ataque. Elas foram bastante úteis contra os aviões lentos e vulneráveis da época. Ao longo do tempo, com o aumento da performance dos aviões a sua utilidade caiu dramaticamente. Elas já não eram rápidas o suficiente e nem capazes de alcançar a altitude em que os aviões voavam. Muitos engenheiros militares concluiram que as artilharias antiaéreas não seriam mais efetivas e pouco desenvolvimento foi feito pela maioria dos países.

Em contrapartida os engenheiros alemães desenvolveram armas mais poderosas, com grande cadência de disparos e projéteis de alta velocidade, capazes de atingirem altas altitudes. Como a Alemanha foi proibida de produzir novas armas logo ao final da primeira guerra, a companhia Krupp desenvolveu os novos armamentos em cooperação com a Bofors (indústria bélica sueca).

Flak 18[editar | editar código-fonte]

Os primeiros protótipos dos canhões foram produzidos em 1928 e ele começaria a ser fabricado em série em 1933. Tinha um calibre de 88 mm podendo disparar projéteis de alto-explosivo de 10,4 Kg, assim como munição perfurante de 9,2 kg, atingindo uma velocidade inicial de 820 m/s. Possuía um mecanismo de carregamento semiautomático que o permitia disparar entre 15 a 20 projéteis por minuto.

Era tracionado por um SdKfz 7 e quando armado sustentado por um mecanismo cruciforme com o canhão apoiado por um pedestal permitindo-o girar a 360º e com uma elevação de -3 e +85 graus, sendo capaz de atacar alvos aéreos e terrestres.

O Flak 18 foi utilizado durante a Guerra Civil Espanhola pela Legião Condor, quando provou sua excelência como artilharia antiaérea e também teria sido “descoberto” como arma antitanque.

Flak 38 - 105mm[editar | editar código-fonte]

Quando o canhão de 88mm (4,36pol) estava sendo aprovado em 1933, o Exército Alemão constatou que uma arma mais pesada seria útil e apresentou o requerimento para um canhão de 105mm (4,13pol) capaz de alcançar um teto maior que o de 88mm. O resultado, após o desenvolvimento e os testes, foi o Flak 38 de 105mm da Rheinmetall, que entrou em operação em 1937. Tinha controle remoto de potência eletro-hidraúlico, carregamento servo assistido e uma plataforma compacta com quatro pés. Em 1939, foram feitos motores elétricos para corrente alternada, ao invés de direta, o que permitia funcionar com o fornecimento de energia normal. Estas e outras modificações deram origem ao Flak 39.

Flak 40 - 128mm[editar | editar código-fonte]

Esta foi uma das armas mais potentes da Segunda Guerra Mundial, iniciando sua operação em 1937. Não havia nada de incomum nele, era um Flak 38 um pouco maior. Ele ficava dividido em suas seções, reparo e canhão. Mas a Luftwaffe observou que os canhões antiaéreos deviam ser armas de resposta rápida e o fato de ter que montá-las durante o uso era contraproducente. Assim o canhão foi usado mais em posições estáticas de defesa. Foi colocado em um reparo com dois canos em torres de artilharia antiaérea e protegeram as principais cidades da Alemanha.

Modelos sucessores[editar | editar código-fonte]

Por consequência da experiência na Guerra Civil Espanhola e noutras batalhas na Europa foram sendo feitas modificações a fim de aumentar a sua estabilidade, facilitar a produção o reparo e melhorar seu sistema de mira.

PaK 43 e KwK 43[editar | editar código-fonte]

PaK 43/41

O PaK 43 foi uma variante do canhão de 88 mm para uso exclusivo antitanque (PaK, Panzerabwehrkanone). Utilizava um novo mecanismo cruciforme e o canhão estava muito mais próximo do solo facilitando a sua camuflagem.

Diante da necessidade de uma arma de maior potência contra os blindados soviéticos foi criado o Pak 43/41, que entre outras melhorias abandonou a plataforma cruciforme.

Este era o armamento principal padrão dos tanques Tiger II, Nashorn e Jagdpanther, além do Flak auf Sonderfahrgestell montado sobre o chassis do Panzerkampfwagen IV. Em todas estas versões ele estava apto a penetrar 200 mm de blindagem a uma distância de 1000 m, permitindo-lhe destruir qualquer tanque da época.

Referências

  1. Fuller, Mike. 88 Mm Flak 18/36/37/41 and Pak 43 1936-45 (em inglês). [S.l.]: Osprey Publishing, 2002. 48 pp. ISBN 9781841763415.
  2. Fleming, David. Weapons of the Waffen SS (em inglês). [S.l.]: Zenith Imprint, 2003. 128 pp. p. 61. ISBN 9780760315941.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Artilharia 1850-1945, Abril Coleções, 2010

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Canhão de 88 mm
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.