Legião Condor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Legião Condor
ES Legion Condor.jpg
Estandarte da Legião Condor
País Alemanha Nacional-Socialista
Criação Julho de 1936 - Março de 1939
Comando
Comandantes
notáveis
Hugo Sperrle
Wilhelm Ritter von Thoma

A Legião Condor foi o nome dado à força de intervenção majoritariamente aérea que a Alemanha Nacional-Socialista enviou para auxiliar o general Franco na Guerra Civil Espanhola.

Comandantes[editar | editar código-fonte]

Comandante Data
Generalmajor Hugo Sperrle 1 de Novembro de 1936 - 31 de Outubro de 1937
Generalmajor Helmuth Volkmann 1 de Novembro de 1937 - 31 de Outubro de 1938
Generalmajor Wolfram Freiherr von Richthofen 1 de Novembro de 1938 - 18 de Julho de 1939

Chief of Staff(Chefes de estado maior)[editar | editar código-fonte]

Major Alexander Holle 1 de Novembro de 1936 - ? Janeiro de 1937
Oberstleutnant (Tenente-Coronel) Wolfram Freiherr von Richthofen  ? Janeiro de 1937 - 11 de Janeiro de 1938
Major Hermann Plocher 11 de Janeiro de 1938 - 1 de Novembro de 1938
Oberstleutnant (Tenente-Coronel) Hans Seidemann 1 de Novembro de 1938 - 18 de Julho de 1939

História[editar | editar código-fonte]

Adolf Hitler, chanceler alemão, por sugestão do chefe da Luftwaffe Hermann Göring ofereceu a Franco secretamente apoio aéreo ao seu exército terrestre. O principal objetivo era o de testar a força aérea alemã numa guerra convencional

Este apoio consistiu tanto em apoio logístico, transporte de tropas, mantimentos, etc., como em apoio em ações de ataque com aviões de caça e bombardeiros (como o famoso bombardeamento de Guernica), carros de combate e artilharia.

A intervenção alemã na Guerra Civil Espanhola permitiu melhorar a qualidade da sua aparelhagem de guerra e reparar os defeitos da sua força aérea, preparando-a para a ofensiva mundial que Hitler planejava, que conforme o serviço secreto britânico, deveria durar o máximo de 9(nove)meses e/ou 300(trezentos)dias, segundo diversos compêndios da área militar, o que se chamava na época, nos grupos restritos da inteligência britânica, de "Guerra Relâmpago".

Em 11 de novembro de 1936 os primeiros 697 homens da Legião Condor chegavam a Sevilha. Adolf Hitler abastecia os nacionalistas espanhóis com homens e armamentos, mas esse era um grupo novo e especial: o chefe da inteligência alemã, Wilhelm Canaris, havia acordado com o general Franco que o contingente seria majoritariamente aéreo. Presente em quase todas as frentes de batalha, a temida Legião Condor chegou a reunir 5 mil aviadores, centenas de soldados, unidades de tanques, blindados, artilheiros e uma infantaria motorizada de elite.

Em abril de 1937, os ataques aéreos se multiplicavam cada dia mais mortíferos e a Legião já havia experimentado em Oviedo o método tapete de bombas. Finda a missão, em maio de 1939, dias depois (6 de junho) a Legião Condor foi homenageada em Berlim: 15 mil combatentes alemães da Espanha desfilaram sob aclamação. Meses depois, a Segunda Guerra Mundial eclodia, e aqueles homens estavam especialmente preparados para ela, pois Adolf Hitler tinha certeza que as promessas negociadas secretamente, por Josef Stalin e Benito Mussolini, de apoio incondicional à Alemanha-Nazi, seriam honrados e respeitados. O que não aconteceu e mudou a estratégia e o curso da História Mundial, conforme diversos livros sobre Estratégia e reformulações políticas, de interesse do Estado.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  • Axis History Legião Condor. Visitado em 12 de Julho de 2009.
  • Uma tragédia planejada - por Rémi Kauffer, História Viva, nº 46