Carlos Augusto Montenegro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Carlos Augusto Saade Montenegro nasceu no Rio de Janeiro (RJ) em 28 de janeiro de 1954. É um economista brasileiro graduado pela Universidade Gama Filho em 1977.

IBOPE[editar | editar código-fonte]

Ingressou no IBOPE (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística) em 1971 e hoje é presidente do instituto brasileiro que realiza pesquisas de mídia, mercado, opinião pública, política e outras em vários âmbitos sociais. Fundado em 1942, atualmente o IBOPE tem mais de 3.500 funcionários, é composto por quatro unidades de negócios, com escritórios em 14 cidades do Brasil, 13 países da América Latina e nos Estados Unidos, consolidando-se como a maior empresa latino-americana de pesquisa de mercado.

GRV[editar | editar código-fonte]

Carlos Augusto Montenegro teve participação acionária de 6,25% na empresa GRV, responsável pelo sistema de Gravame, taxa paga pelos bancos a Fenaseg. Desde que o sistema de Gravame foi fundado há 12 anos, não foram mais registradas fraudes em financiamento de automóveis. Em 2010, Carlos Augusto Montenegro vendeu sua participação na empresa para a CETIP, em negociação aprovada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Botafogo[editar | editar código-fonte]

Montenegro também foi presidente do Botafogo de Futebol e Regatas entre 1994 e 1996. Em sua passagem pelo clube, conquistou o título de campeão brasileiro de 1995 e deu de volta ao clube a sua sede social, General Severiano. Em 2005, voltou ao clube como consultor da presidência e o ajudou a se classificar para a disputa da Copa Sul-Americana 2006 e a vencer o Campeonato Carioca de 2006. Em 2007, Montenegro acabou se envolvendo em muitas polêmicas[1] [2] devido a derrotas do clube que desagradaram os jogadores[3] , fato que o fez desligar-se oficialmente do clube.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.