Caupolicán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A morte de Caupolicán.

Caupolicán (em mapudungun: Sílex polido[1] ) era um toqui, o líder militar do povo mapuche do Chile, que comandou seu exército durante a primeira insurreição mapuche contra os conquistadores espanhóis ocorrida entre 1553 e 1558.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Após a bem-sucedida campanha de conquista de Pedro de Valdivia em Araucanía e do fracasso do toqui Lincoyan em detê-lo, os mapuches foram induzidos por Colo Colo a escolherem um novo líder supremo de guerra em resposta à ameaça espanhola. Caupolicán, sendo um Ulmen de Pilmaiquén, ganhou a posição de toqui demonstrando sua força física superior, segurando um tronco de árvore por três dias e três noites.[Nota 1]

Além de mostrar a sua força física, ele também teve que improvisar um poema para inspirar, aos mapuches, coragem e unidade. Morreu em 1558 nas mãos dos colonizadores espanhóis, que o haviam feito prisioneiro. Foi condenado à morte por empalamento,[2] sendo obrigado a sentar-se em uma estaca enquanto sua esposa era forçada a assistir à cena. Depois de sua morte, foi substituído no cargo de toqui por seu filho, Caupolicán, o Jovem.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Caupolicán aguentou durante dois dias e uma noite de acordo com Vivar, Cap. CXVII. Alonso de Ercilla deduziu que foram três dias e três noites.

Referências

  1. Diccionario Mapuche-Castellano. Visitado em 5 de maio de 2011.
  2. a b Biografía de Caupolicán. Visitado em 5 de maio de 2011.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este artigo:
Wikisource-logo.svg Textos fontes no Wikisource
Wikisource-logo.svg Textos fontes no Wikisource
Wikisource-logo.svg Textos fontes no Wikisource
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Caupolicán