Codex Porphyrianus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuscritos do Novo Testamento
PapirosUnciaisMinúsculosLecionários
Uncial 025
1 João 2,9-16 (facsimile)

1 João 2,9-16 (facsimile)
Nome Porphyrianus
Sinal Papr
Texto Atos, Epístolas católicas, Epístolas paulinas, Apocalipse
Data século 9
Escrito grego
Agora está Biblioteca Nacional da Rússia
Tamanho 16 x 13 cm
Tipo Texto-tipo Bizantino
Categoria V, III


Codex Porphyrianus designado por Papr ou 025 (Gregory-Aland), α 3 (von Soden), é um manuscrito uncial grego do Novo Testamento. A paleografia tem datado ele para o século 9.[1]

Descoberta[editar | editar código-fonte]

O códex contém o texto do Novo Testamento (exceto Evangelhos) em 327 fólios de pergaminho (16 x 13 cm). Escrito em uma coluna por página, em 24 linhas por página.[1]

Lacunas

Actos 1,1-2,13; Romanos 2,16-3,4; 8,32-9,10; 11,23-12,1; 1 Coríntios 7,15-17; 12,23-13,5; 14,23-39; 2 Coríntios 2,13-16; Colossenses 3,16-4,8; 1 Tessalonicenses 3,5-4,17; 1 João 3,20-5,1; Judas 4-15; Apocalipse 16,12-17,1; 19,21-20,9; 22,6-fin.

Ele é um palimpsesto, o texto superior foi escrito no ano 1301. Ele é minúsculo 1834.[1]

Texto[editar | editar código-fonte]

O texto grego desse codex é um representante do Texto-tipo Bizantino na Actos e Apocalipse. Aland colocou-o entre a Categoria V.[1]

O texto grego de Pauline e epístolas Católicas é representante do texto-tipo Alexandrino com um grande número de umas leituras alheias. Aland colocou-o entre a Categoria III.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O manuscrito foi descoberto por Tischendorf em 1862. Tischendorf editou o seu texto em "Monumenta sacra inedita" volume. V-VI (1865-1869).[2]

Actualmente acha-se no Biblioteca Nacional da Rússia (Gr. 225) no São Petersburgo.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f Kurt Aland and Barbara Aland, "The Text of the New Testament: An Introduction to the Critical Editions and to the Theory and Practice of Modern Textual Criticism", transl. Erroll F. Rhodes, William B. Eerdmans Publishing Company, Grand Rapids, Michigan, 1995, p. 113.
  2. Scrivener, Frederick Henry Ambrose; Edward Miller. A Plain Introduction to the Criticism of the New Testament, vol. 1. London: George Bell & Sons, 1894. p. 172–173.

Leitua recomendada[editar | editar código-fonte]

  • Constantin von Tischendorf, "Monumenta sacra inedita" V-VI, (Leipzig, 1865-1869), pp. 1 ff.
  • Kurt Treu, "Die Griechischen Handschriften des Neuen Testaments in der USSR; eine systematische Auswertung des Texthandschriften in Leningrad, Moskau, Kiev, Odessa, Tbilisi und Erevan", T & U 91 (Berlin: 1966), pp. 101–104.
  • Herman C. Hoskier, "Concerning the Text of the Apocalypse" (2 vols., London, 1927), p. 1.7.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]