Condensado fermiônico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagens de absorção após a expansão livre de um gás de férmions em forte interação: as temperaturas mais baixas, observa-se uma característica de um pico de Bose-Einstein.

Um condensado fermiônico é uma fase da matéria formada por partículas fermiônicas que se comportam como superfluidas (ausência de resistência a fluxo) a baixas temperaturas. Está fase, está intimamente relacionada ao condensado de Bose-Einstein, cuja as semelhanças nas condições e respostas, deixam bem clara está co-relação, tendo como diferença, no condensado fermiônica são formadas usando férmions e no condensado de Bose-Einstein são formadas usando bósons. Ao contrário dos condensados ​​de Bose-Einstein, condensados ​​fermiônicos são formadas usando férmions em vez de bósons. A descoberta do condensado de Bose-Einstein, que rendeu o Prêmio Nobel de Física de 2001 aos Drs. Eric Cornell e Carl Wieman, abriu o caminho para materialização do condensado fermiônico. Objetivo tanto do condensado de Bose-Einstein como condensado fermiônico é fazer com que milhares de partículas ultrafrias ocupem um único estado quântico, ou seja, todos os átomos se comportam como um único e gigantesco átomo. [1] Por definição, nenhum férmion poderá estar exatamente no mesmo estado quântico que outro férmion. Conseqüentemente, para um físico, mesmo o termo "condensado fermiônico" é um paradoxo. Por décadas, os físicos tetaram afirmar uma co-relação, obter resultados semelhantes tanto na supercondutividade e está nova fase da matéria, utilizando tanto férmions como bósons. A supercondutividade depende da intensidade da "interação emparelhada" entre seus elétrons, a temperatura mais acessí­vel para que ocorre-se foi de -135 °C. [2] O primeiro condensado fermiônico foi criado por uma equipe liderada por Deborah S. Jin em 2003, cuja a experiência consiste em fazer um gás com 500.000 átomos de potássio, aproximadamente, ser resfriado a próximo do zero absoluto de temperatura e em seguida submete-los a um campo magnético, para que emparelhem-se, de forma semelhante aos pares de elétrons que produzem a supercondutividade. A equipe da Dra. Jin detectou o emparelhamento e verificou a formação do condensado fermiônico pela primeira vez no dia 16 de Dezembro de 2003.[3] [4]

Referências

  1. Deborah S., Jin; Markus Greiner, Cindy A. Regal (01 2004). "Observation of Resonance Condensation of Fermionic Atom Pairs" (em inglês) 92 pp. Physical Review Letters. DOI:10.1103/PhysRevLett.92.040403.
  2. Deborah S., Jin; Markus Greiner, Cindy A. Regal (12 2003). "Emergence of a molecular Bose-Einstein condensate from a Fermi gas" (em inglês) 537-540 pp. Nature. DOI:10.1038/nature02199.
  3. Milestones in Cold Research. Visitado em 17 de Novembro de 2009.
  4. Cientistas descobrem em novo estado físico da matéria

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Portal A Wikipédia possui o portal:
Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.