kelvin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fórmulas de conversão de temperaturas em kelvin
Conversão de para Fórmula
kelvin grau Fahrenheit °F = K × 1,8 - 459,67
grau Fahrenheit kelvin K = (°F + 459,67) / 1,8
kelvin grau Celsius °C = K - 273,15
grau Celsius kelvin K = °C + 273,15
kelvin rankine °Ra = K × 1,8
rankine kelvin K = °Ra / 1,8
kelvin réaumur °Ré = (K - 273,15) × 0,8
réaumur kelvin K = °Ré × 1,25 + 273,15

O kelvin (símbolo: K) é o nome da unidade de base do Sistema Internacional de Unidades (SI) para a grandeza temperatura termodinâmica. O kelvin é a fração 1/273,16 da temperatura termodinâmica do ponto triplo da água.1 É uma das sete unidades de base do SI, muito utilizada na Física e Química. É utilizado para medir a temperatura absoluta de um objeto, com zero absoluto sendo 0 K.

Nome e símbolo da unidade[editar | editar código-fonte]

O kelvin recebeu este nome em homenagem ao físico e engenheiro irlandês William Thomson, que se tornou o primeiro Lorde Kelvin quando foi feito par do Reino Unido.

Enquanto unidade do SI, o kelvin não deve ser precedido pelas palavras grau ou graus ou o símbolo °, como em grau Celsius ou Fahrenheit. Isto acontece porque estas são escalas de medição, enquanto o kelvin é uma unidade de medição. Quando o kelvin foi introduzido em 1954 (na 10ª CGPM, Resolução 3, CR 79), recebeu o nome de grau Kelvin e símbolo °K; o símbolo do "grau" foi posteriormente removido em 1967 (13ª CGPM, Resolução 3, CR 104).

O símbolo para o kelvin é sempre um K maiúsculo e nunca é escrito em itálico. Há um espaço entre a grandeza numérica e o símbolo da unidade.

A palavra "kelvin" (nome da unidade) é escrita com inicial minúscula (exceto no princípio das frases), igualmente de acordo com a normas do SI; escreve-se em português com "k" inicial, de acordo com a norma ortográfica que o permite para estrangeirismos aportuguesados — as formas plenamente aportuguesadas "quélvim" e "quélvine" não são usadas, ainda que reflita a pronúncia habitual em português.

A ideia de se propor esta escala surgiu das discussões em torno de temperaturas máximas e mínimas que podem ser atingidas por um corpo. Verificou-se que não há, teoricamente, um limite superior para a temperatura que um corpo pode alcançar. Entretanto, observou-se que existe um limite natural para a mínima temperatura. Estudos realizados em grandes laboratórios mostraram que é impossível obter uma temperatura inferior a -273,15 °C. Esta temperatura é denominada zero absoluto. Na realidade, o zero absoluto é uma temperatura limite que não pode ser alcançada, tendo-se, entretanto, alcançado valores muito próximos a ela.

Conversão de unidades de temperatura[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IUPAC Compendium of Chemical Terminology, Electronic version, kelvin. Disponível em: <http://goldbook.iupac.org/K03374.html>. Acesso em: 8 mai. 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]