Ano-luz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Astronomia.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição.

Ano-luz (símbolo: ly, do inglês light-year) é uma medida de comprimento, com valor aproximado de 10 trilhões de quilômetros (1016 metros, perto de 6 trilhões de milhas). Conforme a definição da União Astronômica Internacional (UAI), um ano-luz é a distância que a luz atravessa no vácuo em um Ano Juliano.[1]

A medida ‘’Ano-luz’’ geralmente é usada para mensurar distâncias de estrelas e outras distâncias na escala intergaláctica, especialmente nas publicações populares ou não especializadas na área de ciência. A unidade de medida preferida pelos astrônomos é o parsec, pois esta pode ser mais facilmente derivada e comparada com dados da observação.

Valores numéricos[editar | editar código-fonte]

Existem alguns cálculos para o ano-luz efetuados ao longo do tempo. Desde 1964 com a primeira determinação oficial da velocidade da luz, seguido dos estudos do astrônomo Olaüs Römer (1644-1710), medindo o intervalo entre sucessivos eclipses da lua ‘’Io’’, de Júpiter, para diferentes pontos da órbita da Terra.

  • 1968 – 1983:

Foram incluídos no Sistema de Constantes Astronômicas do UAI em 1964 os cálculos do ano tropical e da velocidade da luz. Estes valores foram usados a partir do ano 1968 até 1983.[2] . A produção de Simon Newcomb's, denominada J1900.0, considera o ano tropical de 31.556.925,9747 segundos ephemeris e a velocidade da luz de 299.792,5 km/s, produzindo um ano-luz de 9,46053015 (arredondado a velocidade da luz para sete dígitos) que pode ser encontrando em diversas fontes[3] [4] [5] provavelmente derivando de uma fonte mais antiga datada com referencias de 1973[6] chegando a materiais publicado até 2000.[7]

Outros valores com maior precisão foram publicados neste período, porém não derivam de fontes coerentes do sistema UAI. O valor de 9,460536207915 é encontrado em algumas fontes como base para o calculo.[8] [9] Este valor é um trabalho parecido com o que utiliza o ano gregoriano de 365,2425 dias (31.556.952 s) como base e define a velocidade da luz em 299.792.458 m/s.

Outro valor, 9,46052840515,[10] [11] é um trabalho parecido com o calculo efetuado com base no ano tropical no J1900.0.

  • A partir de 1984:

Em 1976 foram incluídos no Sistema de Constantes Astronômicas do UAI os valores baseados no Ano Juliano de exatos 365,25 dias e o valor da velocidade da luz definida em 299.792.458 m/s.[12]

Abaixo compara-se os valores correspondentes ao ano-luz de outras constantes astronômicas utilizadas:

  • exatamente 9.460.730.472.580,8 km (aproximadamente 9,5 Pm)
  • aproximadamente 5.878.625.373.183,608 milhas (aproximadamente 6 trilhões de milhas)
  • aproximadamente 63.241,1 UA
  • aproximadamente 0,306601 parsecs
  • exatamente 31.556.952 segundos-luz

Outras aplicações[editar | editar código-fonte]

Outra medida utilizada é o de nanossegundo-luz. É a distância que a luz pode viajar em um bilionésimo de segundo, cerca de 30 cm (1 pé).[13]

O radar de um avião utiliza esta medida para medir a que distância algum objeto está. Uma antena de radar emite um pulso curto de rádio e aguarda que ele ecoe num avião ou outro alvo. Enquanto aguarda, vai contando o número de nanossegundos que se passam. As ondas de rádio viajam à velocidade da luz, assim, o número de nanossegundos dividido por 2 indica à unidade de radar qual a distância do objeto.

Usar o ano-luz como medida de distância tem uma outra vantagem: ajuda a determinar a idade. Digamos que uma estrela esteja a 1 milhão de anos-luz daqui. A luz daquela estrela viajou à velocidade da luz para chegar até nós. Portanto, a luz da estrela levou 1 milhão de anos para chegar até aqui e a luz que estamos vendo foi gerada 1 milhão de anos atrás. A estrela que estamos vendo é, na verdade, como era há 1 milhão de anos atrás e não como é atualmente. Da mesma forma, nosso Sol está a uns 8 minutos-luz de distância. Se o Sol apagasse neste exato momento, nós não teríamos como saber disso por 8 minutos, porque este é o tempo que levaria para que a ultima luz chegasse até nós.

A distância da estrela mais próxima é de aproximadamente 4,3 anos-luz, e a distância da galáxia de Andrômeda é aproximadamente 2 milhões de anos-luz. Para atravessar a Via Láctea, nossa galáxia, de ponta a ponta, seria preciso 100 mil anos viajando à velocidade da luz.

Referências

  1. The IAU and astronomical units, International Astronomical Union, http://www.iau.org/public_press/themes/measuring/, visitado em 2008-07-05  (inglês)
  2. P. Kenneth Seidelmann, ed., Explanatory Supplement to the Astronomical Almanac (Mill Valey, California: University Science Books, 1992) 656. ISBN 0-935702-68-7 (inglês)
  3. Sierra College, Basic Constants (inglês)
  4. Marc Sauvage, Table of astronomical constants (inglês)
  5. Robert A. Braeunig, Basic Constants (inglês)
  6. C. W. Allen, Astrophysical Quantities (third edition, London: Athlone, 1973) 16. ISBN 0-485-11150-0 (inglês)
  7. Arthur N. Cox, ed., Allen's Astrophysical Quantities (fourth edition, New York: Springer-Valeg, 2000) 12. ISBN 0-387-98746-0 (inglês)
  8. Nick Strobel, Astronomical Constants (inglês)
  9. KEKB Astronomical Constants (inglês)
  10. Thomas Szirtes, Applied dimensional analysis and modeling (New York: McGraw-Hill, 1997) 60. (inglês)
  11. Sun, Moon, and Earth: Light-year (inglês)
  12. Astronomical Constants page K6 of the Astronomical Almanac. (inglês)
  13. Um Nanosegundo-Luz na Sua Mão usp.br. Visitado em 14/02/2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]