RMC 136a1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
RMC 136a1
Da esquerda para a direita: uma anã vermelha, o Sol, uma anã azul e R136a1. R136a1 não é a maior estrela conhecida em termos de volume, essa distinção pertence a VY Canis Majoris.
Da esquerda para a direita: uma anã vermelha, o Sol, uma anã azul e R136a1. R136a1 não é a maior estrela conhecida em termos de volume, essa distinção pertence a VY Canis Majoris.
Dados observacionais (J2000)
Constelação Dorado
Asc. reta 05h 38m 42,4s[1]
Declinação -69° 06′ 02,2″[1]
Magnit. apar. 12,77[1]
Tipo espectral WN+...[1]
Distância 165,000 anos-luz

RMC 136a1 ou R136a1 é uma estrela descoberta em 2010, pertencente ao superaglomerado estelar RCM 136. A massa dessa estrela é 265 vezes superior à massa solar. Cientistas acreditam que seja a estrela com a maior massa já observada no Universo. Quando do seu nascimento, a massa da RMC 136a1 teria sido equivalente a 320 vezes à massa do Sol. Sua temperatura, na superfície, é sete vezes mais elevada do que a do Sol (40000°C).[2]

A RMC 136a1 fica a uma distância de 165 mil anos-luz da Terra, inserida na Grande Nuvem de Magalhães.[3] [4] Comparativamente ao Sol, ela seria cerca de 10 vezes maior e um milhão de vezes mais luminosa.

A descoberta foi realizada com a ajuda do Very Large Telescope (VLT), instalado no deserto de Atacama, norte do Chile. As pesquisas foram publicadas no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society e se referem a dois aglomerados estelares, sendo um deles o R136a.

Notas e referências

  1. a b c d SIMBAD basic query result. SIMBAD. Página visitada em 21/07/2010.
  2. Space.com (21 de julho de 2010). Heftiest Star Discovery Shatters Cosmic Record.
  3. Estadão. Astrônomos encontram 'maior estrela do universo'. Página visitada em 21/07/2010.
  4. Astronomers detect 'monster star' (21 de julho de 2010).
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.