Constituição de Esparta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A Constituição de Esparta chamada de A Grande Retra (Lei), é atribuída à figura lendária de Licurgo, este teria estabelecido a seguinte organização político-administrativa:

  • Diarquia: governo de dois reis, hereditário e dominado por duas famílias.
  • Gerúsia: conselho consultivo formado pelos homens com mais de 60 anos, eleitos pela Ápela.
  • Ápela: Assembleia composta por todos os cidadãos dóricos, tomava as decisões sobre todos os assuntos políticos e administrativos.
  • Éforos: Eram os verdadeiros chefes de estado de Esparta. Os éforos eram os oficiais da antiga Esparta. Eram cinco éforos eleitos anualmente pela Ápela. Eles atuavam no papel de fiscais da vida pública, inclusive da atuação dos reis.[1]

Referências

  1. Plutarco (c. 85), Vidas Paralelas, A Vida de Licurgo], p. 223. Loeb clasical, 1914.
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Grécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.