Débito direto autorizado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Débito Direto Autorizado (DDA) é um sistema no Brasil criado pela Febraban e bancos brasileiros associados que substitui a emissão de boletos de cobrança impressos pela cobrança eletrônica das obrigações.1 Foi implantado em 10 de outubro de 2009.2

É um sistema que tem o foco voltado apenas para a eliminação de despesas dos bancos, não incluíndo em seus objetivos criar quaisquer funcionalidades que agreguem praticidade para o cliente. Ou seja, se o cliente esquecer de visualizar o boleto, não existe nenhuma funcionalidade de envio de e-mail ou SMS para lembrar do pagamento. Mas isso não é surpreendente, pois o custo de fazer uma tela de opções e de enviar SMS pode acabar anulando a economia obtida com a substituição de boletos impressos por boletos virtuais.

História[editar | editar código-fonte]

Na década de 1990, foram criados os boletos de cobrança com código de barras. Com a implementação dos boletos, a cobrança pode ser realizada de forma eletrônica, sem necessidades de gerar mais documentos físicos (papéis) pela cobrança. As empresas, contudo, continuaram enviando as cobranças por meio impresso aos clientes.

Com a criação do DDA, a intenção é gerar menos documentos, o que reduz consideravelmente os custos dos bancos com o envio de correspondência para seus clientes. Ademais, o DDA contribui para o desenvolvimento sustentável, pois reduz os gastos com papel e tinta para impressão. O sistema permite que todas as cobranças sejam recebidas eletronicamente, por meio dos sistemas dos bancos. As transações se dão 100% de forma eletrônica, e os valores das transações são automaticamente creditados na conta corrente dos clientes credores.

Referências

Manual DDA[editar | editar código-fonte]