Depressão (geografia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A depressão é uma forma de relevo mais plana que o planalto e sem irregularidades, que tem leve inclinação e altitude que pode ir de 100 a 500 metros. Elas, as depressões, podem ser formadas tanto de rochas cristalinas quanto de rochas sedimentares. Podem também ser encontradas baixas colinas. Um exemplo geral de depressão são crateras.

Lagoa das Sete Cidades, uma depressão localizada em Ponta Delgada, nos Açores.

Depressões são formas de relevo que apresentam altitudes mais baixas do que as áreas ao redor. Geralmente apresentam superfícies planas, por conta do desgaste sofrido por causa da ação do vento e da água (intemperismo).

Depressões são regiões geográficas mais baixas do que as áreas em sua volta. São classificadas como depressões relativas quando acima do nível do mar, e depressões absolutas quando abaixo do nível do mar, As crateras de vulcões desativados e provenientes da queda de asteróides são consideradas depressões. É comum a formação de lagos nas depressões.

A depressão é uma forma de relevo aplainado, onde podem ser encontradas baixas colinas. Como exemplo, podemos citar as Depressões Norte e Sul Amazônica. Um exemplo geral de depressão são crateras. Depressões são formas de relevo que apresentam altitudes mais baixas do que as áreas ao redor.