Dicroísmo circular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Dicroísmo circular (CD, do inglês circular dichroism) é uma forma de espectroscopia que faz uso da absorção diferenciada da luz polarizada no sentido horário ou no sentido anti-horário. Este fenômeno é rotineiramente utilizado no estudo da estrutura secundária de proteínas.[1] [2] [3] [4]

O fenomeno[editar | editar código-fonte]

Polarização linear.

A luz linearmente polarizada é composta de duas componentes circularmente polarizadas de mesma intensidade. Em cada uma dessas componentes, o vetor eletromagnético roda na direção de propagação. Observando-se o perpendicularmente a variação no vetor elétrico com o tempo, percebe-se que a ponta deste vetor segue uma hélice, rodando no sentido horário para a luz polarizada circulamente para a direita e anti-horário para a esquerda. A absorção de luz não polarizada é descrita pela absorbancia, A, definida como[1] [4]

 A = \log{ \frac{I_{0}}{I} }

onde I_{0} é a intensidade da luz incidente e I a intensidade após a luz percorrer uma distancia l no meio. Segundo a Lei de Beer-Lambert, temos a seguinte relação:

A = \epsilon c l

onde c é a concentração da espécie que absorve a luz e  \epsilon é o coeficiente de extinção molar.

Da mesma forma podemos definir um coeficiente de extinção molar para a luz circularmente polarizada para a direita e para a esquerda, respectivamente,  \epsilon _{r} e {\epsilon}_{l}. O dicroísmo circular molar, {\Delta}{\epsilon},

 {\Delta}{\epsilon} = {\epsilon}_{l} - {\epsilon}_{r} = \frac{A_{l} - A_{l}}{cl}

é definido como a diferença entre os coeficientes de extinção entre os dois tipos de luz polarizada (o coeficiente de extinção molar para a luz não-polarizada é simplesmente a média aritmética entre {\epsilon}_{l} e {\epsilon}_{r}. Todos os instrumentos comerciais de CD medem  {\Delta}A = A_{l} - A_{r} . Por razões históricas, entretanto, os aparelhos de CD são calibrados para elipticidade, {\theta} = 32{,}98{\Delta}A

onde \theta é dado em graus. Para eliminar os efeitos do caminho óptico e da concentração defini-se a elipticidade molar, {\theta}_{m},

 {\theta}_{m} = 100\frac{\theta}{l c} = 3298{\Delta}{\epsilon}

A elipticidade molar é dada em  \mbox{graus} \cdot \frac{\mbox{cm}^2}{\mbox{dmol}}.


Referências

  1. a b Gerald D. Fasman, Circular Dichroism and the Conformational Analysis of Biomolecules (1996) Springer. doi:10.1007/978-1-4757-2508-7 ISBN 978-0-306-45142-3 Livro ISBN 978-1-4757-2508-7 e-Livro(em inglês)
  2. Kōji Nakanishi; Nina Berova; Robert Woody (1994). Circular dichroism: principles and applications. VCH. p. 473. ISBN 978-1-56081-618-8. (em inglês)
  3. Dicroísmo circular
  4. a b Dicroísmo circular

Ver também[editar | editar código-fonte]


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  1. Carolina Fortes Rigos; Pietro Ciancaglini, Padronização da técnica de dicroísmo circular para o estudo da estrutura da Na, K-ATPse : binômio estrutura-função.; Ribeirão Preto, 2003., OCLC 55923283
  2. Woody, R.W., Circular dichroism, Meth. Enzymol. (1995), VOL. 246, 34-71. PubMed (em inglês)
  3. Física: tendências e perspectivas , Editora Livraria da Fisica, 2005 ISBN 8-588-32548-9


Química A Wikipédia possui o:
Portal de Química
Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.