Dionísio I de Siracusa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Dionísio I, o Antigo (Siracusa, ca. 430 a.C. — Siracusa, 367 a.C.) foi tirano de Siracusa. Governou Siracusa por trinta e oito anos, até a sua morte.[1]

Era de origem humilde (segundo Diodoro Sículo, ele era um escriba[1] ) e aproveitou-se da guerra com Cartago para tomar o poder em 405 a.C.. Os oito anos seguintes foram dedicados a reforçar seu poder. Fortificou Siracusa, derrotou seus inimigos políticos e destruiu e ocupou as cidades gregas vizinhas. Com isso, reiniciou a guerra contra Cartago. Inicialmente foi vitorioso com o cerco de Motia (397/96 a.C.) e limitou o poder de Cartago somente ao noroeste da Sicília. A segunda guerra, em 392 a.C., terminou com tratado favorável a Dionísio. A terceira guerra, em 383 a.C., foi desastrosa. Dionísio foi derrotado e obrigado a pagar uma indenização e a ceder a Cartago o território a oeste do rio Halicas.

Dionísio possuía também relações amigáveis com Esparta, que ajudou com mercenários, e aliança com Atenas ( 369/ 67 a.C.).

Referências

  1. a b Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XIII, 96.4
Ícone de esboço Este artigo sobre Roma Antiga e o Império Romano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.