Ellen e William Craft

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ellen e William Craft, escravos fugitivos e abolicionistas.

Ellen Craft (1826-1891) e William Craft (25 de setembro de 1824 - 29 de janeiro de 1900) eram escravos de Macon, Geórgia, nos Estados Unidos, que escaparam para o Norte em dezembro de 1848 para viajar de comboio e barco a vapor, chegando na Filadélfia no dia de Natal. Ela se fez passar como um agricultor branco e ele como seu escravo pessoal. A ousada fuga foi amplamente divulgada, tornando-os entre os mais famosos escravos fugitivos. Os abolicionistas destacaram-os em palestras públicas para obter apoio na luta para acabar com a instituição. À medida que tinha pele clara e era filha mestiça de uma escrava Mulata e seu senhor branco, Ellen Craft usou sua aparência para se passar por um homem branco, vestido-se com roupa apropriada.

Ameaçados por apanhadores de escravos em Boston após a aprovação da 'Lei do Escravo Fugitivo' de 1850, os Crafts fugiram para a Inglaterra, onde viveram por quase duas décadas e criaram cinco filhos. Os Crafts palestraram publicamente sobre sua fuga. Em 1860, eles publicaram um relato escrito, Running a Thousand Miles for Freedom; Or, The Escape of William and Ellen Craft from Slavery. Uma das mais convincentes das muitas narrativas de escravos publicadas antes da Guerra Civil Americana, o livro chegou a várias audiências públicas na Grã-Bretanha e Estados Unidos. Após seu retorno para os EUA em 1868, os Crafts abriram uma escola agrícola para filhos de escravos libertos na Geórgia e trabalharam em fazendas até 1890. A história deles foi reeditada nos Estados Unidos em 1999, com os dois Crafts creditados como autores, e está disponível on-line no Projeto Gutenberg e da Universidade da Virgínia.[1]

Referências

  1. Sarah Brusky, "The Travels of William and Ellen Craft: Race and Travel Literature in the Nineteenth Century," Prospects 25 (2000): 177–91.,

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Craft, Ellen; Craft, William; Blackett, R. J. M. (1999) [1860], Running a Thousand Miles for Freedom: Or, The Escape of William and Ellen Craft from Slavery, Louisiana State University Press, ISBN 0-8071-2320-X 
  • R. J. M. Blackett, Beating Against the Barriers: Biographical Essays in Nineteenth-Century Afro-American History (Baton Rouge: Louisiana State University Press, 1986).
  • Sarah Brusky, "The Travels of William and Ellen Craft: Race and Travel Literature in the Nineteenth Century," Prospects 25 (2000): 177–91.
  • Ellen Samuels, "'A Complication of Complaints': Untangling Disability, Race, and Gender in William and Ellen Craft's Running a Thousand Miles for Freedom," MELUS 31 (fall 2006): 15–47.
  • Dorothy Sterling, Black Foremothers: Three Lives (Old Westbury, N.Y.: Feminist Press, 1998).
  • Daneen Wardrop, "Ellen Craft and the Case of Salomé Muller in Running a Thousand Miles for Freedom," Women's Studies 33 (2004): 961–84.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]