Escífo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Triunfo do imperador Tibério (r. 14–37). Escífo de prata com decoração repoussé final do século I a.C. - início do século I.

Escífo[1] (em grego: σκύφος; transl.: Skyphos; plural skyphoi) é uma taça de vinho com duas alças sobre uma base rebaixada ou nenhuma. As alças podem ser horizontais em forma de orelha projetadas a partir do rebordo (em ambas as formas, coríntia e ateniense), ou podem ser em forma de laço que se colocam na borda ou sobressaem a base. Escífos do tipo chamado coruja (glaux) têm uma pequena alça horizontal e outra vertical.[2]

Os primeiros escífos foram feitos durante o período geométrico. Corinto definiu as convenções que Atenas seguiu. Durante um longo período a forma permaneceu a mesma, enquanto o estilo de decoração alterou-se.[3] Escífos foram também feitos de metais preciosos, geralmente folhas de prata e ouro. Um exemplo bem preservado é a Taça Warren, um escífo ovoide de prata, como descrito por John Pollini.[4] Um Escífo romano de vidro camafeu pode ser visto no Museu Getty.

Referências

  1. Ramón Gil. Um escifo del grupo del cisne de la necropolis de Galera (Granada) (em inglês).
  2. Briene 1998, p. 175
  3. Skyphos (em inglês).
  4. Pollini, John. (Março 1999). "The Warren Cup: homoerotic love and symposial rhetoric in silver". The Art Bulletin LXXXI. Visitado em 01.05.2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Briene, Christoph; Roald Docter. El Skyphos fenicio: La adaptacion de um vaso griego para beber1. [S.l.: s.n.], 1998.