G-Men vs The Black Dragon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
G-Men vs The Black Dragon
O Dragão Negro[1]  (PT)
O Dragão Negro[2]  (BR)
 Estados Unidos
1943 • PxB • Seriado: 15 capítulos (243 minutos)[3]
Versão editada: 100[3] min
 
Direção Spencer Gordon Bennet
William Witney
William J O'Sullivan
Produção William J. O'Sullivan
Roteiro Ronald Davidson
William Lively
Joseph O'Donnell
Joseph Poland
Elenco Rod Cameron
Roland Got
Constance Worth
Nino Pipitone
Noel Cravat
George J. Lewis
Gênero guerra
Idioma inglês
Música Mort Glickman
Arnold Shwarzwald (não-creditado)
Direção de arte Russell Kimball
Efeitos especiais Howard Lydecker
Theodore Lydecker
Cinematografia Bud Thackery
Edição Tony Martinelli
Edward Todd
Estúdio Republic Pictures
Distribuição Republic Pictures
Lançamento Estados Unidos 18 de janeiro de 1943 (seriado) [3]
Estados Unidos 1966 (versão 100 minutos)[3]
Portugal 20 de agosto de 1945
Orçamento $148,445 dólares (custo final: 156,599$)[3]
Cronologia
Último
Último
King of the Mounties (1942)
Daredevils of the West (1943)
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

G-Men vs The Black Dragon é um seriado estadunidense de 1943, produzido pela Republic Pictures em 15 capítulos, dirigido por William Witney. É digno de nota entre os seriados de aventura por conter um número elevado de brigas, encenadas pelo diretor William Witney e uma equipe de dublês.

Esta foi a última produção de Witney antes de sair para servir na Segunda Guerra Mundial; na verdade ele saiu antes de as filmagens estarem completas. A esposa de Witney, Maxine Doyle, volta a atuar pela primeira vez desde que se conheceram no set de um antigo seriado, S.O.S. Coast Guard (1937).

A caracterização do agente federal Rex Bennett foi tão convincente, na atuação de Rod Cameron, que a Republic, rapidamente, mudou seu próximo seriado, já em produção, para o papel de Cameron. Assim, o seriado Secret Service in Darkest Africa se tornou uma seqüência não oficial, com Rod Cameron interpretando o mesmo Rex Bennett, e a personagem feminina, interpretada por Joan Marsh, como uma britânica, a exemplo de G-Men vs. the Black Dragon.

Foi o 28º dos 66 seriados produzidos pela Republic Pictures. Em 1966, o seriado foi editado sob o título Black Dragon of Manzanar, e fez parte do "Century 66" da Republic, com adaptações de seriados para 100 minutos de duração.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Após espiões japoneses da “Sociedade do Dragão Negro” (Black Dragon Society) infiltrarem-se na fronteira dos Estados Unidos, o Agente Federal Rex Bennett foi escolhido pelo governo para capturá-los. Como o perigoso líder Oyama Haruchi começa a desestabilizar o esforço de guerra dos Estados Unidos através de sabotagem e corrupção, Bennett se alia à agente especial britânica Vivian Marsh e ao agente especial chinês Chang Sing para ajudar a ganhar a guerra, destruindo a Sociedade do Dragão Negro.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

G-Men vs. The Black Dragon foi produzido com base no sucesso do seriado Spy Smasher, porém a equipe preferiu não apresentar personagens fantasiados[4] .

G-Men vs. The Black Dragon foi orçado em $148,445 dólartes, porém seu custo final foi $156,599 dólares[3] .

Foi filmado entre 26 de setembro e 4 de novembro de 1942[3] , e foi a produção nº 1198[3] .

Foi o último seriado dirigido por William Witney antes de partir para a Segunda Guerra Mundial, e partiu antes de completar as filmagens. Witney arranjou para que sua esposa, Maxine Doyle, fizesse um teste para o filme, com a intenção de deixá-la nos Estados Unidos durante a guerra. Também foi acertado que ela seria a única candidata para o papel, mas isso não foi revelado até que ela chegou para a audição. Foi sua primeira atuação desde que o casal se conheceu no set de um antigo seriado, S.O.S. Coast Guard (1937). Este arranjo quase levou a ligeiros problemas no relacionamento, quando a atriz australiana Constance Worth apareceu no quarto do hotel de Witney bêbada. Ela foi levada por um colega antes de Maxine tomar conhecimento de sua presença[4] .

Efeitos especiais[editar | editar código-fonte]

Todos os efeitos especiais do seriado foram feitos pelos Lydecker brothers, e muitas das cenas foram filmadas de forma tão impressionante que a Republic as reutilizou em seriados posteriores.

Dublês[editar | editar código-fonte]

  • Tom Steele … Rex Bennett (dublando Rod Cameron)
  • Duke Taylor … Lugo (dublando George J. Lewis)
  • Ken Terrell … Ranga & Chang Sing (dublando Noel Cravat e Roland Got)
  • Dale Van Sickel (dublando Stanley Price)
  • John Daheim (dublando Crane Whitley and Harry Burns)

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Cinemas[editar | editar código-fonte]

A data oficial do lançamento de G-Men vs. The Black Dragon é 16 de janeiro de 1943, porém atualmente se considera essa a data da disponibilização do 7º capítulo[3] .

Televisão[editar | editar código-fonte]

G-Men vs. The Black Dragon foi um dos 26 seriados da Republic a serem editados para a televisão em 1966, e seu título foi então mudado para Black Dragon of Manzanar. Essa versão foi feita com 100 minutos de duração[3] [5] .

Crítica[editar | editar código-fonte]

Nas palavras de Cline, o seriado e sua sequência são "dramas bem-feitos com elencos altamente capazes e profissionais"[6] . A partir da fórmula normal, a identidade do vilão é conhecida para o público[7] .

Capítulos[editar | editar código-fonte]

  1. The Yellow Peril (25min 26s)
  2. Japanese Inquisition (15min 34s)
  3. Arsenal of Doom (15min 32s)
  4. Deadly Sorcery (15min 34s)
  5. Celestial Murder (15min 36s)
  6. Death and Destruction (15min 35s)
  7. The Iron Monster (15min 35s)
  8. Beast of Tokyo (15min 39s)
  9. Watery Grave (15min 31s)
  10. The Dragon Strikes (15min 34s)
  11. Suicide Mission (15min 35s)
  12. Dead on Arrival (15min 31s)
  13. Condemned Cargo (15min 34s)
  14. Flaming Coffin (15min 34s)
  15. Democracy in Action (15min 40s)

Fonte:[3] [8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. IMDB
  2. Mattos, A. C. Gomes de. A Outra Face de Hollywood: Filme B. [S.l.]: Rio de Janeiro: Rocco. 96 pp. ISBN 85-325-1496-0
  3. a b c d e f g h i j k Mathis, Jack. Valley of the Cliffhangers Supplement. [S.l.]: Jack Mathis Advertising. 3, 10, 66-67 pp. ISBN 0-9632878-1-8
  4. a b Witney, William. In a Door, Into a Fight, Out a Door, Into a Chase: Moviemaking Remembered by the Guy at the Door. [S.l.]: McFarland & Company, Inc., 2005. ISBN 9780786422586
  5. The Library Serial Features
  6. "Well-made topical drama with highly capable and professional casts".
  7. Cline, William C.. In the Nick of Time. [S.l.]: McFarland & Company, Inc.. p. 50. ISBN 078640471X
  8. Cline, William C.. In the Nick of Time. [S.l.]: McFarland & Company, Inc.. p. 235. ISBN 078640471X

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • MATTOS, A. C. Gomes de (2003), A Outra Face de Hollywood: Filme B, Rio de Janeiro:Rocco. ISBN 85-325-1496-0

Ligações externas[editar | editar código-fonte]