Genos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O génos (plural gene) era um tipo de organização social da Grécia Antiga, durante o período da idade antiga. Eram uma espécie de classe social.

O Genos era um tipo de organização social da Grécia Antiga, durante o Período Homérico. Eram uma espécie de clãs ou grandes familias. Cada geno era chefiado pelo homem mais velho e o poder era passado do pai para o filho primogênito. Tal organização surgiu na região da Grécia Antiga, logo após o evento denominado 1ª Diáspora Grega.

A propriedade nos gene era comunal, ou seja, coletiva: plantavam e colhiam em conjunto. No entanto, passados três séculos, os genos entraram em colapso, pois a população cresceu e não havia terras cultiváveis para todos. Assim, com a explosão demográfica, pensou-se em explorar mais regiões (2ª Diáspora Grega), sem sucesso. Como solução, determinou-se que as terras passariam a ter posse privada (pelos descendentes diretos dos chefes dos antigos genos). A coletividade consequentemente acabou e os níveis de desigualdade social apareceram. 

Como forma mais eficiente para organizar a sociedade grega, surgiram as cidades-Estados, ou Pólis. Os dois principais exemplos são Atenas e Esparta. 

Outra importante informação, é que os gene eram criados pelo Pater, ou seja, o pai de todo o povo. Os pater, com o passar do tempo, foram tendo novas ideias. Uma delas foi a de construir um altar. Nesse altar, os antepassados eram cultuados como deuses. 

Os gene dissolveram-se quando a população ficou grande demasiado para um sistema coletivo: as terras foram divididas e por meio da coligação de fratrias ("irmandades") surgiram as tribos, que culminariam na formação da polis.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.