Hamadríade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Janeiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
The Hamadryad by Émile Bin.jpg
Emile Jean Baptiste Philippe Bin (1870)
Ninfas

Na mitologia grega, as Hamadríades são as oito filhas do casamento de Óxilo, filho de Óreas[Nota 1] com Hamadríade, sua própria irmã: Carya, Balanus, Crania, Morea, Aeigirus, Ptelea, Ampelus e Syce.[1]

As hamadríades são ninfas que nascem com as árvores, devendo protegê-las, e com as quais partilham o destino.

Calímaco, conta no seu Hino a Delos, que a disposição e temperamento destas deidades variava em conformidade com a das suas protegidas (árvores), dispensando-se em prantos aquando da queda das folhas ou da estridente alegria à chegada das chuvas da primavera sobre a juventude das verdes folhagens.

E se em algumas lendas poderia viver durante “cerca de dez vidas de palmeiras” ou 9720 anos, em outras versões, a morte anunciava-se-lhes com as das suas árvores.

A hamadríade, Carya certa vez teve um caso com Zeus, o que gerou Dirio, o deus das plantas venenosas.

Existem lendas que descrevem o poder vingativo de que estas Ninfas eram capazes sobre aqueles que ameaçavam as suas árvores (Chrysopelia), outras histórias falam-nos dos castigos que caíam sobre aqueles que as cortassem ou desdenhassem das orações atribuídas as estas deidades (Erysichthon) consideradas como intermediárias entre mortais e imortais.

E se na generalidade dos casos estas Ninfas nasciam com as suas árvores; conta a lenda que Óxilo, filho de Oreius casa com Hamadryads, sua própria irmã, e que desta união nasceram uma série de ninfas protectoras de árvores: Carya, Balanus, Crania, Morea, Aeigirus, Ptelea, Ampelus, e Syce. Cada uma destas seria protectora de um espécie diferente de árvore, entre estas a Vinha, a Figueira, Aveleira, etc.

Notas e referências

Notas

  1. Óxilo filho de Óreas pode ser traduzido como Aquele da floresta, filho da montanha

Referências

  1. Pherenikos, poeta épico herakleto, citado por Ateneu, O banquete dos eruditos, 1.78a