Ilha Buss

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Ilha Buss é o nome dado a uma ilha fantasma supostamente situada no Atlântico Norte.

Durante a terceira expedição de Martin Frobisher, em Setembro de 1578, os marinheiros que iam a bordo do navio Emmanuel (cujo capitão era Richard Newton) disseram ter avistado uma ilha entre a Islândia e a também fantasmagórica Frislândia, à latitude de 57°N (a determinação de uma longitude ou meridiano era nessa época assaz imprecisa).

A suposta ilha foi denominada segundo o nome então utilizado pelos ingleses para um tipo de chalupa, uma buss, busse ou bridgewater (ponte-de-água). Supõe-se como muito provável que Martin Frobisher e seus acompanhantes confundiram a Gronelândia com a suposta "Frislândia" e a ilha Baffin com a Gronelândia, talvez pelos espelhismos que se produzem da Gronelândia (aos 62°N). Depois, com o regresso do navio Emmanuel a portos ingleses, foram sendo produzidos erros de cálculo que deram lugar à inserção nos mapas da época (século XVI) da chamada ilha Buss.

Em 1671 um tal Thomas Shepar declarou ter explorado e cartografado a ilha Buss, a qual apareceu nos mapas até ao século XIX

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Donald S. Johnson: Phantom Islands of the Atlantic. The Legends of Seven Lands That Never Were (1994/1998).