Ilha dos Marinheiros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Píer na Ilha dos Marinheiros - A maior ilha da Lagoa dos Patos, no município de Rio Grande

Ilha dos Marinheiros é um distrito do município de Rio Grande, no Rio Grande do Sul [1] . Está situado em uma ilha fluvial da Lagoa dos Patos, à 32° 00' 00" de latitude sul e 52° 09' 00" de longitude oeste, possuindo uma área total de 39,28 km². O distrito possui cerca de 1 400 habitantes [2] .

História[editar | editar código-fonte]

A ilha é considerada patrimônio da cidade de Rio Grande pela preservação de valores, herdados da cultura dos portugueses, que colonizaram o local. Antes da vinda dos primeiros colonizadores portugueses, as terras da Ilha dos Marinheiros eram ocupadas por indígenas. De acordo com vestígios encontrados na ilha, os grupos eram: minuanos, charruas e guaranis.[3]

A importância desta ilha tem início nos primórdios da fundação da cidade de Rio Grande, quando forneceu água, lenha e madeira para as fortificações e para os colonizadores da Vila do Rio Grande de São Pedro. No passado, a Ilha abastecia todo o comércio de Rio Grande e proximidades, atualmente produzindo cerca de 80% das hortaliças consumidas em Rio Grande.[3]

Em 1845, a ilha recebeu o imperador Dom Pedro II.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A Ilha dos Marinheiros é a maior e mais fértil ilha da Lagoa dos Patos. Próximo às margens, a profundidade da laguna é de menos de um metro. No lado sudoeste, há estreita faixa coberta por vegetação heterogênea até o limite do anel de dunas.

Esta ilha formou-se a partir da progressiva acumulação de sedimentos de origem flúvio-lacustre e sua paisagem natural apresenta três aspectos distintos: as margens, a área de dunas elevadas e o interior (depressão em relação às dunas). Dos limites do cordão de dunas ao interior da ilha, mostra-se um grande cenário de lagoas, dunas, pinheirais e arbustos. O cordão de dunas cobre uma extensão de nordeste para noroeste a poucos metros da faixa descrita. São dunas altas formadas por grãos de quartzo eólico em sua fase erosiva, hoje com uma vegetação mais densa, devido ao reflorestamento realizado por empresas privadas. Há uma depressão, na ilha, que forma várias lagoas no inverno, que secam quase completamente no verão.

É considerada a parte mais fértil do município de Rio Grande e já foi o mais importante centro agrícola de produção de legumes, frutas e fabrico de vinhos, que abasteciam a cidade e a exportação em larga escala.

O clima da Ilha é subtropical ou temperado (Cfa), com verões tépidos, invernos frescos e precipitações bem distribuídas ao longo do ano. Os verões registram médias de aproximadamente 22°C, e os invernos, médias de 13°C. A temperatura média anual é de 17,6°C e a precipitação média é de 1.200 mm anuais.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O histórico de Rio Grande. Página visitada em 09 de fevereiro de 2012.
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2000. Página visitada em 09 de fevereiro de 2012.
  3. a b (em português) Rio Grande Virtual, Ilha dos Marinheiros, 27 de dezembro de 2007.
  4. (em português) Fundação Universidade Federal do Rio Grande - FURG, 27 de dezembro de 2007.