Independência da Colômbia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Independência da Colômbia
Parte da(o) Independência da América Espanhola
Batalla de Boyaca de Martin Tovar y Tovar.jpg
Batalha de Boyacá. Óleo sobre tela, de Martín Tovar y Tovar (1890).
Data 18101824
Local Atual Colômbia
Desfecho Independência da Grã-Colômbia (Colômbia, Venezuela, Equador e Panamá)
Combatentes
Flag of New Granada (1811-1814).svg Nova Granada Flag of Spain (1785-1873 and 1875-1931).svg Império Espanhol
Principais líderes
Flag of the Gran Colombia.svg Simón Bolívar
Flag of the Gran Colombia.svg Santander
Flag of the Gran Colombia.svg Antonio Nariño
Flag of Spain (1785-1873 and 1875-1931).svg Pablo Morillo
Flag of Spain (1785-1873 and 1875-1931).svg José María Barreiro
Flag of Spain (1785-1873 and 1875-1931).svg Juan de Sámano
Flag of Spain (1785-1873 and 1875-1931).svg Agustín Agualongo

A luta pela Independência da Colômbia inicia-se da mesma forma que quase todas as outras independências das colônias espanholas na América, já que na época, a Espanha vivia crise institucional.

O processo de independência começa com diversas organizações e feitos, inicialmente liderados por Antonio Nariño e Camilo Torres Tenorio. Adiante, a independência é liderada por Simón Bolívar e Francisco de Paula Santander, na longa Batalha de Boyacá, que tem início em 1810 e termina finalmente com êxito em 1819. O território do Vice-Reinado de Nova Granada se converte em uma República, conhecida como Grã-Colômbia, em homenagem ao navegador Cristóvão Colombo. O primeiro presidente do novo país foi Simón Bolívar.

Em 1780, na Região do Vice-Reino de Nova Granada (Colômbia), ocorreu uma das mais fortes manifestações contrarias às políticas metropolitanas. O Movimento foi provocado pela imposição de pagamentos de novos impostos anuais. Aproximadamente 30 mil pessoas reuniram-se na cidade de Socorro, com o lema "Viva o rei e abaixo o mau governo". Tal lema demonstra que a elite colonial dirigia o movimentos de oposição apenas à maneira como a Coroa estava governando, mas não se opunha à Monarquia propriamente dita.

Os revoltosos exigiam a eliminação dos novos impostos, a redução do tributo anual e da alcabala (imposto sobre a venda de mercadorias). Eles derrotaram as tropas reais e instalaram uma Junta Provisória. Mais tarde, porém, reinóis dispersaram os rebeldes e executaram o líder do movimento, o camponês José Antonio Galán.

Fonte[editar | editar código-fonte]

  • Livro de História: Das cavernas ao terceiro milênio