Jane Porter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Jane Porter, The Ladies' Monthly Museum

Jane Porter (Durham, 17 de janeiro de 177624 de maio de 1850) foi uma escritora inglesa.

Dizem que ela costumava acordar às 4 horas para ler e escrever. Ainda criança, leu toda a Faerie Queene, de Edmund Spenser. Bela e alta, tinha um ar grave, o que lhe valeu o apelido de "A Pensativa", uma possível referência ao poema Il Penseroso, de John Milton.

Quando morreu seu pai, a família mudou para Edimburgo, que era freqüentemente visitada por Walter Scott. Algum tempo depois, nova mudança, desta vez para Londres, onde as irmãs conheceram várias mulheres literatas: Elizabeth Inchbald, Anna Laetitia Barbauld, Hannah More, Elizabeth Hamilton e Mrs De Crespigny.

Sua obra Thaddeus of Warsaw (1803) é um dos primeiros exemplos de romances históricos e chegou a doze edições. Contava a história baseada em testemunhos, de refugiados poloneses na guerra da independência de 1790, e recebeu elogios do patriota Kosciusko.

The Scottish Chiefs (1810), romance sobre William Wallace, também foi um sucesso (a tradução para o francês foi proibida por Napoleão Bonaparte) e tornou-se popular entre as crianças da Escócia.

Escreveu ainda muitos romances e duas peças. Nestas últimas, entretanto, não obteve o mesmo sucesso. Jane também contribuiu com vários periódicos.

Jane e Anna Maria Porter, que viveram em Londres e, mais tarde, em Surrey, eram irmãs do pintor Sir Robert Ker Porter.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • McMillan, Dorothy. "Porter, Jane." Oxford Dictionary of National Biography.
  • "Porter, Jane." British Women Writers: a critical reference guide. Janet Todd, ed. London: Routledge, 1989. 542-543.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Biografias de Jane Porter[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.