Jogabilidade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Jogabilidade (em inglês, gameplay ou playability) é um termo na indústria de jogos eletrônicos que inclui todas as experiências do jogador durante a sua interação com os sistemas de um jogo, especialmente jogos formais, e que descreve a facilidade na qual o jogo pode ser jogado, a quantidade de vezes que ele pode ser completado ou a sua duração.[1]

O uso próprio do termo está acoplado em referência a "o que o jogador faz". No decorrente desenvolvimento de jogos eletrônicos na década de 1980, jogabilidade era usado somente no contexto de jogos eletrônicos ou jogos de computador, apesar de sua popularidade ter começado com o seu uso em outras formas de jogos mais tradicionais. Geralmente, jogabilidade na terminologia dos jogos eletrônicos é usado para descrever a experiência geral de um jogador em relação aos controles e desafios de um jogo.

O termo "jogável" (ou "selecionável"), por si, pode também ser usado para referir-se a objetos da jogabilidade que podem ser controlados pelo jogador. É frequentemente atribuído a personagens de jogos de RPG ou de luta, e a facções em jogos de estratégia em tempo real, como "jogável" ou "não-jogável". O termo é frequentemente usado em prévias, resenhas e outras discussões críticas sobre jogos como critério de avaliação. Uma grande quantidade de personagens não-selecionáveis pode ser menos atrativo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.