Kabushiki gaisha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Kabushiki gaisha ou kabushiki kaisha (式会社, lit. "companhias de ações"?) são um tipo de corporação de negócios 社 (kaisha?) definida sob a lei japonesa.

Uso na língua[editar | editar código-fonte]

Tanto kabushiki kaisha como a forma rendaku kabushiki gaisha são usadas. A ortografia de "K" é muito mais comum nos nomes de companhias e na língua inglesa de literatura legal, ao passo que a pronúncia "G" é dominante no japonês.[1] .

No japonês, "kabushiki gaisha" pode ser usado como um prefixo (p. ex. 株式会社電通 Kabushiki gaisha Dentsū) ou como um sufixo (p. ex. トヨタ自動車株式会社 Toyota Jidōsha Kabushiki gaisha). Muitas vezes é abreviado como "(株)", o seu primeiro caractere.

Muitas companhias japonesas traduzem a frase "Kabushiki Kaisha" (KK) como "Co, Ltd." enquanto os outros usam as traduções mais estadunizadas Corporação ou Incorporada. Os textos ingleses muitas vezes referem-se a kabushiki gaisha como "companhias de ações conjuntas"; enquanto isto está perto de uma tradução literal do termo, os dois não são o mesmo. O governo japonês anteriormente endossou "corporação de negócios" como uma tradução oficial[2] mas agora usa a tradução literal "companhia de estoque"[3] .

História[editar | editar código-fonte]

A primeira kabushiki gaisha foi o Primeiro Banco Nacional do Japão, incorporado em 1873.

As regras quanto a kabushiki gaisha foram estabelecidas no Código Comercial do Japão. Durante a ocupação estadunidense depois da Segunda Guerra Mundial, as autoridades de ocupação introduziram revisões ao Código Comercial baseado na lei de Corporação de Negócios de Illinois de 1933, dando à kabushiki gaisha muitos traços de corporações estadunidenses[4] .

Dentro de algum tempo, a lei corporativa japonesa e dos Estados Unidos divergiu, e K.K. assumiu muitas características não encontradas nas corporações dos Estados Unidos. Por exemplo, uma K.K. não pode resgatar a sua própria ação (uma restrição que ainda existe), por um preço menor do que ¥ 50,000 por ação (1982 efetivo), ou funcionar com um pagamento de capital menor do que ¥ 10 milhões (1991 efetivo)[5] .

No dia 29 de junho de 2005, a Dieta Nacional do Japão passou uma nova lei para as Companhias (会社法, kaisha-hō), que entrou em vigor em 1 de maio de 2006[6] . A nova lei afetou muito a formação e a função de e outras organizações de negócios japonesas de . K.K, trazendo-as mais perto de suas contrapartes nos Estados Unidos.

Uma tradução completa no inglês da nova lei de Companhias e análise sumária está disponível em [1]

Referências

  1. Yahoo!国語辞典
  2. "法令用語「日英対訳辞書」まとまる 政府検討委", Asahi Shimbun, 18 de março de 2006. (sumário)
  3. Standard Bilingual Dictionary of Legal Terminology.
  4. Ramseyer, Mark, and Minoru Nakazato, Japanese Law: An Economic Approach (Chicago: University of Chicago Press, 1999), p. 111.
  5. Ramseyer, op. cit., p. 123.
  6. Japan External Trade Organization, "Investing in Japan: Incorporating Your Business[ligação inativa]."
Ícone de esboço Este artigo sobre negócios, indústria, ou organização é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.