Limítanes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Limitanei)
Ir para: navegação, pesquisa

Os limítanes (limitanei) foram unidades militares do exército romano durante a época do Baixo Império. A sua função principal era a proteção das fronteiras, embora em muitos casos o seu trabalho fosse de mera contenção das tropas bárbaras, até a chegada de tropas melhor equipadas, como os comitatenses. Por essa localização fronteiriça, que em muitas ocasiões coincidia com os cursos dos rios, também foram denominados também ribeirinhos (ripenses).[1]

Criação da unidade militar[editar | editar código-fonte]

Os limítanes compunham um dos dois grandes conjuntos de tropas constituídos à época do imperador romano Diocleciano, após as suas reformas administrativas, econômicas e militares. Porém, parece ser que foi Constantino I o que desenvolveu a sua constituição.

Em 363 é documentada a primeira referência escrita. A sua qualidade de vida era habitualmente mais precária que a de outras tropas pela sua situação nas zonas fronteiriças, com escassos serviços e a contínua fustigação dos germanos e doutros povos bárbaros. Nos momentos de menor atividade ou ataques estrangeiros, cumpriam trabalhos de vigilância das vias e controle policial, ficando reduzida a sua presença nas províncias menos conflituosas ou sem fronteiras com bárbaros (como as hispânicas ou a Tingitana).

Após a queda da parte ocidental de Império Romano, os limítanes continuaram exercendo a sua função no Império Bizantino[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sayas Abengoechea, Juan José. ' Historia Antigua de la Península Ibérica (II) .. Uned. ed. [S.l.: s.n.], 2003. ISBN 84-362-4908-9.
  2. Maier, Franz Georg. ' Bizancio '. Siglo XXI de España Editores. ed. [S.l.: s.n.], 2001. ISBN 8432301582.
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «limitanei».
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em italiano, cujo título é «limitanei».

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Juan José Sayas Abengoechea, Historia Antigua de España II. Uned 2001 ISBN 84-362-4398-6.
  • Noé Villaverde Vega. Tingitana en la antigüedad tardía, siglos III-VII: Autoctonía y romanidad en el extremo Occidente Mediterráneo. Publicado por Real Academia de la Historia, 2001 ISBN 8489512949.
  • Arnold Hugh Martin Jones: The Later Roman Empire. 284–602, a social, economic and administrative survey. Johns-Hopkins-Univ. Pr., Baltimore, Md,
  • Benjamin Isaac: The Meaning of the Term limes and limitanei. In: Journal of Roman Studies 78 (1988), S. 125–147.
  • Adrian Goldsworthy: Die Legionen Roms. Verlag Zweitausendeins, 2004, ISBN 3-86150-515-0
  • Adrian Goldsworthy: Die Kriege der Römer, Brandenburgsches Verlagshaus 2001, ISBN 3-89488-136-4.
  • Alexander Demandt: Geschichte der Spätantike. Das Römische Reich von Diocletian bis Justinian. Verlag C.H. Beck, Munique 1998, ISBN 3-406-44107-6, Pág. 229.