Medicina molecular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Medicina Molecular é uma ampla área de conhecimento, que consiste basicamente no uso de técnicas físicas, químicas, biológicas e médicas para descrever mecanismos e estruturas moleculares, identificar anomalias moleculares e genéticas causadoras de doenças, bem como desenvolver intervenções para corrigi-las. Sua perspectiva enfatiza, tanto na descrição quanto no tratamento, os fenômenos celulares e moleculares, em contraponto ao foco conceitual da medicina tradicional, que alcança o nível dos órgãos.[1]

Em novembro de 1949, com o artigo Sickle Cell Anemia, a Molecular Disease,[2] na revista Science, Linus Pauling, Harvey Itano e parceiros lançaram as bases para o estabelecimento da medicina molecular.[3] Em 1956, Roger J. Williams escreveu Biochemical Individuality,[4] um livro sobre genética, prevenção e tratamento de doenças em bases moleculares, bem como a nutrição, que passa a ser vista como campo da medicina. O trabalho, pioneiro, veio a ser confirmado por obras posteriores,[5] sobretudo com o advento da medicina ortomolecular.[6] Outro artigo na Science por Paulingem 1968[7] introduziu um novo ponto de vista sobre a medicina molecular com ênfase no tratamento e prevenção de doenças através do uso de nutrientes e substâncias naturais.

O progresso da pesquisa na área foi lento até que, nos anos 70, a revolução biológica introduziu novas técnicas e aplicações.[8]

A medicina molecular ainda é uma nova disciplina científica nas universidades européias. Combinando estudos médicos contemporâneos com o campo da bioquímica, é oferecida uma ponte entre os dois assuntos. Atualmente, apenas algumas universidades oferecem esta cadeira. O médico graduado com esta especialidade pode optar por várias carreiras clínicas e acadêmicas.

Temas[editar | editar código-fonte]

Os temas centrais centrais são relacionados à bioquímica incluem o estudo dos genes, proteínas, pesquisas sobre câncer,imunologia, biotecnologia e outros. Em algumas universidades, a medicina molecular é combinada com outras disciplinas como a química, funcionando como um estudo adicional para enriquecer o programa de graduação.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Nota[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Massoud TF, Gambhir SS.noninvasive molecular imaging into molecular medicine: an evolving paradigm, Trends in Molecular Medicine, Vol. 13, No. 5, May 2007, pp. 183-191 (em inglês)
  2. L Pauling, H Itano, SJ Singer, I Wells."Sickle Cell Anemia, a Molecular Disease".Science, 25 November 1949, vol. 110, no. 2865, pp. 543-548. (em inglês)
  3. BJ Strasser,Perspectives: Molecular Medicine, [ "Sickle Cell Anemia, a Molecular Disease"] Science, 19 November 1999, vol. 286, no.5444, pp. 1488 - 1490. (em inglês)
  4. RJ Williams (1956) Biochemical Individuality: The Basis for the Genetotrophic Concept (John Wiley & Sons, 1956; University of Texas Press, 1969 to 1979; Keats Publishing, 1998, ISBN 0-87983-893-0(em inglês)
  5. MS Runge, C Patterson, VA McKusick, Principles of Molecular Medicine, 2nd ed, p. 53, Humana Press, 2006 ISBN 1-58829-202-9.(em inglês)
  6. RJ Williams, DK Kalita (1979) Physician's Handbook on Orthomolecular Medicine, Keats Publishing, ISBN 0-87983-199-5 (em inglês)
  7. Pauling L, "Orthomolecular psychiatry. Varying the concentrations of substances normally present in the human body may control mental disease", Science 19 Apr 1968; 160(825):265-71. (DOI:10.1126/science.160.3825.265 PMID 5641253) [1](em inglês)
  8. [Molecular medicine—an overview sunzi1.lib.hku.hk/hkjo/view/22/2200268.pdf] HKMJ, June 1997, Vol3, No. 2