Michael Brian Schiffer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Michael Brian Schiffer (Winnipeg, Canadá 4 de outubro de 1947) é um arqueólogo canadense e um dos fundadores da chamada Arqueologia Comportamental. Atualmente é professor de antropologia e diretor do Laboratório de Tecnologia Tradicional na Universidade do Arizona.

Filho de fazendeiros, ainda criança, se mudaram para Los Angeles, na Califórnia, em 1953. Após sua formatura do colegial em 1965, ele entrou na Universidade da Califórnia em Los Angeles, onde estudou química, antropologia e arqueologia. Teve como professores, renomados arqueólogos/antropólogos da época como James N. Hill, Sally R. Binford, James Sackett e Lewis Binford. Em 1969 ele se torna bacharel em antropologia pela Universidade da Califórnia e o seu mestrado (1972) e doutorado (1973) pela Universidade do Arizona[1] .

As idéias de Schiffer foram lançadas, inicialmente, em seu livro de 1976 Behavioral Archaeology e um grande número de artigos publicados, todos voltados para os processos de formação de um sítio arqueológico. Sua maior importante contribuição para a arqueologia é a sua rejeição pelo processualismo comum que assumia que o registro arqueológico é transparente e mostra como era a antiga sociedade (Premissa de Pompéia). Schiffer explica que os artefatos são destruídos e transformados por vários processos naturais e culturais[2]

Bibliografia recomendada[editar | editar código-fonte]

  • Binford, L.R. 1981. Behavioral archaeology and the "Pompeii premise". Journal of Anthropological Research 37(3): 195-208
  • Schiffer, M.B. 1972. Archaeological context and systemic context. American Antiquity 156-65
  • Schiffer, M.B. 1976. Behavioral Archeology. Academic Press.
  • Schiffer, M.B. 1991. The Portable Radio in American Life. University of Arizona Press, Tucson.
  • Schiffer, M.B. 1992. Technological Perspectives on Behavioral Change. University of Arizona Press, Tucson.
  • Schiffer, M.B. 1995. (ed.) Behavioral Archaeology: First Principles. University of Utah Press, Salt Lake City.
  • Schiffer, M.B. 1994. (com Tamara C. Butts e Kimberly K. Grimm) Taking Charge: The Electric Automobile in America. Smithsonian Institution Press, Washington DC. Won the 1995 Cugnot Award of Distinction from the Society of Automotive Historians and nominated for a Pulitzer Prize.
  • Schiffer, M.B. 1999. (com Andrea Miller) The Material Life of Human Beings: Artifacts, Behavior, and Communication. Routledge, London.
  • Schiffer, M.B. 2001. (ed.) Anthropological Perspectives on Technology. University of Utah Press, Salt Lake City.
  • Schiffer, M.B. 2003. (com Kacy L. Hollenback e Carrie L. Bell) Draw the Lightning Down: Benjamin Franklin and Electrical Technology in the Age of Enlightenment. University of California Press, Berkeley.
  • Trigger, B.G. 1996 Review of Behavioral Archaeology: First Principles Michael Brian Schiffer. The Journal of the Royal Anthropological Institute. 2(4): 725-726.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Schiffer, Michael B. (1992). Technological Perspective On Behavioral Change, Tucson, Arizona: The University of Arizona Press.
  2. Schiffer, M.B. 1995. (editor) Behavioral Archaeology: First Principles. University of Utah Press, Salt Lake City.