Modelo V

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The V-model of the Systems Engineering Process.1

O Modelo V é um modelo conceitual de gestão de projeto visto como melhoria ao problema de reatividade do modelo em cascata. Ele permite, em caso de anomalia, delimitar um retorno às etapas precedentes. As fases das partes acima devem devolver as informações sobre elas, camada a camada, quando os padrões são detectados, a fim de melhorar o programa.

O Modelo V virou um padrão da indústria de software depois de 1980 e, após o surgimento da Engenharia de Sistemas, tornou-se um conceito padrão em todos os domínios da indústria. O mundo do software tinha feito poucos avanços em termos de maturidade, em achar na bibliografia corrente as referências que poderiam se aplicar ao sistema.

Características[editar | editar código-fonte]

  • Enfatiza a importância de considerar as atividades de testes durante o processo, ao invés de um teste posterior após o término do processo;
  • Pode-se obter a retroalimentação mais rapidamente;
  • Ajuda a desenvolver novos requisitos;
  • Melhora a qualidade do produto resultante.

Desvantagens[editar | editar código-fonte]

  • Dificuldade em seguir o fluxo seqüencial do modelo;
  • Dificuldade para o cliente poder especificar os requisitos explicitamente.

Etapas[editar | editar código-fonte]

  • Análise das necessidades e viabilidade;
  • Especificação do software;
  • Concepção: arquitetura;
  • Concepção: detalhamento;
  • Codificação;
  • Teste individual;
  • Teste de integração;
  • Teste de validação;
  • Receita.

Referências

  1. Clarus Concept of Operations. Publication No. FHWA-JPO-05-072, Federal Highway Administration (FHWA), 2005