Montanhas da Judeia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
As Montanhas Judeias centrais
A área populada entorno de Jerusalém. Vista da entrada de Jerusalém

As Montanhas da Judeia, (em árabe: جبال الخليل; transliteração: Jibal al-Khalil; em hebraico: הרי יהודה; transliteração: Harei Yehuda) também referida como Colinas da Judeia ou Colinas de Hebron, é o nome da cadeia de montanhas na região da Judeia na qual Jerusalém e muitas outras cidades bíblicas estão localizadas.

Percorrendo genericamente do norte ao sul, ambas as montanhas se estendem do oeste ao leste de Jerusalém, no sul termina se chamando Monte Hebron. Outras importantes cidades na cadeia de montanhas são Hebron, Belém e Ramallah. A cadeia forma uma divisão natural entre o plano costeiro de Shephelah ao oeste e o Vale da Fenda jordano ao leste, desse jeito causando uma sombra de chuva responsável pelo deserto da Judeia.

Nos tempos pré-históricos, animais não mais vistos na região do Levante foram achados aqui, incluindo elefantes, rinocerontes, girafas e Buffalo Aquático Asiático Selvagem.[1] A cadeia possui uma topografia carste incluindo uma caverna de estalactite no parque de Nahal Sorek entre Jerusalém e Beit Shemesh e a área em torno de Ofra, aonde fósseis de flora e fauna pré-histórica foram achados.

As Montanhas da Judeia têm um linha da Israel Railways que de Bet Shemesh ao longo de Brook de Sorek e o Vale de Refaim até a estação de trem ao sul de Jerusalém. Atualmente, um plano de desenvolvimento da região das Montanhas da Judeia está em progresso.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]