Neimar de Barros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde abril de 2011). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Neimar de Barros Nasceu em Corumbá -MS e foi muito conhecido como produtor de televisão da equipe de Silvio Santos . Até o início da década de 1970, criou e produziu vários programas de grande audiência, como Cidade contra Cidade, Boa Noite Cinderela, entre outros. Em 1971 foi convidado a participar de um encontro dentro da Igreja Católica, na época chamado de cursílio. Como ateu, ele aceitou desafiar o convite dizendo que só acreditava no que podia ver. No terceiro e último dia, depois de ter incomodado o encontro, foi desafiado a ir pra capela e algo o fez ajoelhar-se, uma grande emoção o tomou e ali naquela hora aconteceu o início de sua conversão.

Quando voltou ao seu trabalho na TV, sentiu que como cristão não podia aceitar muitas coisas que aconteciam. Entrou em conflito com Silvio Santos e acabou se desligando do grupo. Foi quando se tornou famoso também como escritor de livros religiosos, onde podemos citar o best-seller Deus Negro, que vendeu mais de 4 milhões de exemplares. Em 1975 contraiu uma tuberculose e foi aconselhado a se tratar em Campos do Jordão, onde posteriormente resolveu residir por 11 anos. Lá fundou o Instituto M.E.A.C., missionários para envagelização e animação de comunidades, sendo o principal pregador, e durante 14 anos desenvolveu um trabalho missinário dando cursos e palestras em mais de 4 mil cidades. Suas palestras lotavam ginásios de esportes, auditórios, igrejas e teatros. Seu trabalho teve tanto destaque que esteve na capa da Revista Família Cristã, a maior publicação católica do Brasil, editada pela Editora Paulinas. Visitou o Vaticano, publicou mais de 10 livros, sendo vários em espanhol. Como leigo conseguiu quebrar vários paradigmas, sendo uma forte referência dentro da Igreja Católica. Depois disso, chegou uma fase ruim em sua vida, e como um ser humano normal teve várias desilusões, sendo muitas dentro da própria Igreja Católica, indo contra os seus dogmas, muitos que ele não aceitava e gostaria de mudar. Contudo, trabalhava e viajava muito e uma profunda crise entrou em sua vida, associando ao estresse do trabalho e sua separação no casamento, o que potencializou ainda mais o seu estado emocional e o despertar de uma doença neurológica descoberta 18 anos mais tarde, o Mal de Alzheimer.

Em 1986, entretanto, Neimar concedeu uma entrevista bombástica à revista Veja, revelando que sua conversão teria sido uma farsa. Ele contou ter sido contratado por uma loja maçônica internacional, para se infiltrar na Igreja Católica e repassar informações sobre a conduta de religiosos. A maioria de seus admiradores não acreditou nessa história, e sabemos que a Revista Veja teve recordes de venda naquela semana, ultrapassando 900 mil exemplares. Depois disso, Neimar escreveu dois livros sem sucesso, o que pode explicar seus excessos e devaneios por causa do Mal de Alzheimer. Contudo, Neimar em cero tempo confirmou nunca ter deixado de ser um ateu convicto e fez uso de má fé enganando a todos com sua falsa fé.

Oculto por alguns anos ele depois reapareceu na equipe de Silvio Santos, trabalhando novamente como produtor. Neimar faleceu no dia 06/05/2012.

‎‎