O Escaravelho do Diabo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Escaravelho do Diabo
Autor (es) Lúcia Machado de Almeida
Idioma português
País  Brasil
Assunto assassinatos
Género romance policial
Série Vaga Lume

lancamento = 1972

Ilustrador Mario Cafiero
Arte de capa Mario Cafiero
Editora Editora Ática
Páginas 128
ISBN 978-85-08-00103-3

O Escaravelho do Diabo é um clássico da literatura infanto-juvenil do Brasil. Foi lançado em 1972, na Série Vaga-Lume. Foi escrito por Lúcia Machado de Almeida e ilustrado por Mario Cafiero, e até hoje foram feitas vinte e seis edições deste livro. Foi selecionado para o Programa Nacional de Biblioteca da Escola em 1999.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Trata-se de um livro de história policial, em que assassinatos estranhos envolvem a trama. Os fatos acontecem na cidade de Vista Alegre. Pessoas inocentes são vítimas de um estranho assassino nomeado "Inseto", que antes de matá-las, às envia um pequeno embrulho contendo um escaravelho. A aparência e o nome científico dos insetos alude à arma utilizada no assassinato. As vítimas têm algo em comum: são todas ruivas legítimas, com cabelos que lembram a cor do fogo e sardentas.

Alberto, estudante de medicina e protagonista da história, tem seu irmão Hugo, como o primeiro assassinado. Com a ajuda de Inspetor Pimentel e sub-inspetor Silva, Alberto resolve solucionar o mistério, após outros assassinatos se sucederem, além de tentar descobrir qual o motivo do assassinato do irmão. Ao decorrer da investigação, Alberto conhece e se apaixona por Verônica, uma bela moça órfã que vive na pensão de uma irlandesa chamada Cora O'Shea, junto com outros moradores.

A partir disto, Alberto se vê dividido entre solucionar o mistério da morte de seu irmão, ou conquistar o amor de Verônica. Com o passar do tempo, Alberto e Inspetor Pimentel supõem que a chave do mistério está na pensão de Cora O'Shea, mas não conseguem provas o suficiente e o caso é arquivado como "não solucionado". Após anos, numa viagem à Alemanha, Alberto ainda pensa em reconquistar Verônica, e por o acaso, descobre quem foi o assassino de Hugo.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Principais[editar | editar código-fonte]

  • Alberto: Estudante de medicina, um dos solucionadores do crime, irmão de Hugo, apaixonado por Verônica, teve um filho chamado Hugo com ela.
  • Verônica: Hóspede da pensão de Cora O'Shea, estudante de música namorada de Alberto e tem um filho com ele chamado Hugo.
  • Sr. Graz*: Suíço, professor de línguas, muito amigo de verônica, hóspede de Cora O'Shea.(inseto)
  • Inspetor Pimentel: Inspetor que cuida do caso de Hugo, e das outras vítimas.
  • Rachel Saturnino: Única sobrevivente aos ataques do "inseto".
  • Cora O'Shea: Irlandesa dona da pensão. Mãe de Clarence O'Shea.
  • Mr Gedeon: Americano, hóspede de Cora O'Shea.
  • Sub-inspetor Silva: Ajudante do Inspetor Pimentel e de Alberto, aparece pouco no livro.
  • Elza: Copeira da pensão de Cora O'Shea, uma das suspeitas do crime.
  • Rudolf Bartels* o inseto.

Vítimas[editar | editar código-fonte]

  • Hugo "Foguinho": Primeira vítima. Assassinado com uma espada espanhola cravada no peito. Irmão de Alberto.
  • Clarence O'Shea: Filho de Cora O'Shea. Morre envenenado por uma cápsula de cianureto colocada em meio aos seus remédios.
  • Maria Fernanda: Cantora lírica; morre em meio a uma performance de "Carmen", de Bizet, atingida por uma seta envenenada.
  • Galo-da-Serra: Raça em extinção; é estrangulado até a morte e tem todas as suas penas cor de fogo arrancadas.
  • Rachel Saturnino: Única sobrevivente aos ataques do "inseto", é salva por Alberto.
  • Padre Afonso: Padre da paróquia. Morre carbonizado.
  • Mr. Graz*: Morre carbonizado junto ao Padre Afonso, durante o incêndio na capela.