Operação Vístula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Inscrição em polaco (esq.) e ucraniano (dir.): "Em memória dos que foram expulsos de Lemkivshchyna, comemoração do 50.º aniversário da 'Operação Vístula,' 1947-1997."

Operação Vístula, também conhecida como Operação Wisła (em polaco: Akcja "Wisła"; em ucraniano: Операція «Вісла»), foi o nome secreto dado em 1947 à operação de deportação de populações de ucranianos e lemkos do sudoeste da Polónia, levado a cabo pelas autoridades comunistas polacas com a ajuda da União Soviética e da Checoslováquia comunista. O objetivo declarado da operação era a supressão do Exército Revoltoso Ucraniano (UPA), ao qual se atribuiu o terror e o assassinato de polacos nos territórios sul-orientais desde 1944. Mais de 200 000 pessoas, a maioria de etnia ucraniana, residentes no sudeste da Polónia foram forçadas a estabelecer-se nos Territórios Recuperados no norte e oeste do país.[1] A operação recebeu o nome do rio Vístula, Wisła em polaco.

Após a queda do comunismo, a operação foi condenada por políticos e historiadores polacos e ucranianos. Tem sido descrita como uma limpeza étnica dos polacos[2] tanto em fontes ocidentais[3] como ucranianas.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]