Quilômetro 101

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Quilômetro 101 (em russo: 101-й километр, sto pervyy kilometr) é o nome coloquial da lei que restringia a Liberdade de circulação na União Soviética.[1] [2] Durante a maior parte da era soviética, os criminosos e outras pessoas consideradas indesejáveis, incluindo os supostamente reabilitados presos políticos que regressavam das Gulags, foram muitas vezes banidos para além de 101 km (63 milhas) de centros urbanos como Moscou.[1] Este afastamento era destinado, em parte, a manter os elementos indesejáveis a distância dos estrangeiros, que geralmente eram restritos a áreas dentro de 25 quilômetros (16 milhas) do centro da cidade.[1]

O direito de se mover livremente no país, após a libertação de uma prisão, era restrito por um longo período. Em vez de documentos regulares, os presos receberiam um substituto temporário, um " bilhete de lobo "(russo: волчий билет, volchij bilet), confinando-os ao exílio interno, sem o direito de se aproximar mais de 100 km (62 milhas) dos grandes centros urbanos, onde lhe era recusada a autorização de residência (" propiska ").

Isso resultou em muitas comunidades residenciais a 101 km de distância das cidade terem invulgarmente grandes populações de ex-detentos.

Na Rússia moderna, as restrições foram abolidas e a expressão é usada em um contexto semelhante ao de "boondocks", o fosso cultural que ainda existe na Rússia em algum grau.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Jeffrey Tayler (February 1999). Exiled Beyond Kilometer 101. The Atlantic. Página visitada em August 13, 2012.
  2. (2007) "Banishment by a Thousand Laws: Residency Restrictions on Sex Offenders". Washington University Law Revue 85.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]