Sínodo de Beth Lapat

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Sínodo de Beth Lapat foi um concílio da Igreja do Oriente, realizado em 484 sob a liderança do católico Barsauma. O resultado mais significativo do sínodo foi a adoção oficial da igreja à doutrina nestoriana. Outras decisões tomadas no conselho incluem uma rejeição ao celibato clerical que se tornou a principal característica do monasticismo na Igreja persa.[1] A adoção dos ensinamentos de Nestório, que tinha sido condenado pelo Concílio do Éfeso em 431, efetivamente separou a Igreja do Oriente da Igreja Bizantina. As decisões foram claramente destinadas a agradar os reis zoroastristas persas, que estavam em guerra constante com o Império Bizantino: o católico pró-bizantino Babowai tinha sido executado,[2] [3] e os persas haviam dado proteção aos refugiados nestorianos desde as controvérsias em Edessa.[4] Todavia, no ano de 485, um novo sínodo realizado em Beth Adrai, anulou as proposições do sínodo anterior, com exceção da anulação do celibato clerical.[1]

Referências

  1. a b Fortescue 2001, p. 81
  2. Garsoïan 1999, p. 73
  3. Chabot 1902, p. 532
  4. Mar Narsai (V-VI Century) (em inglês).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Garsoïan, Nina G.. L'Église arménienne et le grand schisme d'Orient. [S.l.: s.n.], 1999. ISBN 9789042906747.
  • Chabot, Jean-Baptiste. Synodicon orientale : ou recueil de synodes nestoriens. Paris: [s.n.], 1902.